Espanha assegura: a partir do dia 26 “voltaremos à vida normal”

Os dados dos cartórios de registro civil apontam que existem muito mais mortes por COVID 19 dos que aparecem nas estatísticas oficiais

Em 08/04 de 2020

Sandra Cristina | Correspondente na Espanha

Espanha registra hoje 14.555 falecidos, 146.690 casos positivos e 48.021 mil curados. Nas últimas 24 horas morreram 757 pessoas.

Baseado nestes dados, a Ministra de Economia e porta voz do governo, Maria Monteiro, assegurou que os cidadãos espanhóis poderão, a partir do dia 26 de Abril, voltar à vida normal, “isso sim, muito controlada”. Isso significa que a normalidade não será tão normal assim e que tramitará no Executivo, propostas de instruções para esta “liberdade de ir e vir, vigiada para evitar aglomerações e riscos no novos brotes”.

Segundo a porta voz, estão sendo estudadas as formas de como poderá se realizar essa flexibilidade nas restrições, mas se negou a antecipar qualquer informação até que os “técnicos decidam” e “todavia necessitam” de informações do comportamento da evolução da pandemia nesta semana e na próxima. Assim que, de acordo com a Ministra, o único que se pode afirmar agora e dar “por feito”, é essa prorrogação que será aprovada pelo Congresso até o dia 26 de Abril, data em que todos poderão desempenhar suas vidas normais gradualmente não estando claro em que condições.

A porta voz ainda explicou que já está em andamento os trabalhos por parte do Ministério da Saúde para recorrer mostras de 60 mil pessoas para que se possa saber o número de pessoas que estão contagiadas com sintomas leves e que podem ser transmissores e das que estão bem, que passaram pelo contágio e que desenvolveram imunidade. Primeiramente serão feitos testes nas pessoas maiores que estão em centros de atenção para maiores e logo será efetuado os testes aleatórios.

Por outro lado, os dados dos cartórios de registro civil apontam que existem muito mais mortes por COVID 19 dos que aparecem nas estatísticas oficiais.

O tribunal Superior de Justiça de Castilla-La Mancha, localizada na parte central da península ibérica, foi o primeiro em advertir que as cifras de falecidos por coronavírus que estão sendo divulgadas, distanciam muito dos certificados de falecimento que estão sendo expedidos pelos cartórios.

Para se ter uma ideia, neste Estado, o Ministério da Saúde contabilizou 965 mortos por coronavírus no passado mês de março em quanto que as licenças para enterros, no mesmo período foram 3.319. O problema, segundo o Ministério, é que muitas pessoas, principalmente maiores, que morrem em suas casas e que não apresentam nenhum tipo de sintoma, são consideradas como morte natural e não são feitos testes de coronavírus.

Deixe seu comentário

*
*
Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Falabarreiras. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Falabarreiras poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto. É possível digitar até 600 caracteres. Os comentários que estiverem escritos em letras maiúsculas e tiverem links serão rejeitados.