Aleitamento materno traz inúmeros benefícios ao bebê, mas enfrenta tabus e mitos

Mês de agosto é dedicado a intensificação das ações de promoção, proteção e apoio ao aleitamento materno; especialista fala sobre importância nutricional e imunológica

Em 19/08 de 2019

Imprensa Unifacisa | Imagem destaque: Divulgação/Unifacisa

O ato de amamentar, além de fortalecer os laços emocionais entre mãe e filho, tem uma importância biológica muito grande. São inúmeros os benefícios que o leite materno traz ao bebê, como fortalecimento do sistema imunológico e proteção contra futuros problemas alérgicos, intestinais e muitos outros.

O mês de agosto é dedicado à intensificação das ações de promoção e apoio ao aleitamento materno, que ainda enfrenta muitos tabus e preconceitos devido à falta de informação por parte da população. Professora de neonatologia do curso de Enfermagem da Unifacisa, Rayli Pereira cita os principais mitos disseminados sobre a amamentação e destaca as campanhas de apoio.

“Dizem por aí que o leite materno é fraco, que o colostro (secreção liberada pelas mamas nos primeiros dias de vida do bebê) não alimenta, que toda mulher vai apresentar fissuras mamárias, que seios pequenos produzem pouco leite, que alimentos como cerveja preta e canjica aumentam a produção de leite, entre outros tabus e mitos”, aponta a professora.

Em contrapartida, a lista de benefícios para o bebê que recebe o aleitamento materno é extensa: evita o desenvolvimento de doenças inflamatórias intestinais, combate a obesidade infantil, possui um imenso potencial na prevenção de grande parte das doenças alérgicas, reduz a dor em recém-nascidos submetidos a procedimentos de pequeno porte e protege os bebês contra a otite média.

Rayli também destaca a necessidade do fortalecimento de campanhas e grupos de apoio ao aleitamento materno. “Sabendo que o aleitamento é a melhor e mais saudável alimentação até os primeiros seis meses de vida, essa rede de apoio entre família e sociedade deve estimular os pais diante dos desafios encontrados na amamentação, evitando o desmame precoce e a crença em mitos e informações falsas”, completa.

Foto: Divulgação/Unifacisa

Coordenadora do curso de Enfermagem da Unifacisa, Cidney Soares também enfatiza a união da comunidade em prol do aleitamento materno. “Neste ano, o tema da campanha mundial de aleitamento materno é ‘Empoderar mães e pais para favorecer a amamentação’. Por isso, temos que valorizar ações de apoio, cabendo aos profissionais de saúde incentivar a prática, estimular os pais, apoiar a família e orientá-los quanto à prática. A amamentação deve ser sempre prioridade, visando os benefícios para a criança e também para a família”, pontua.

Durante o mês de agosto, o curso de Enfermagem da Unifacisa está realizando ações voltadas para a campanha do aleitamento materno, segundo a coordenadora. “Estamos realizando atividades acadêmicas sobre o tema nas disciplinas Saúde da Mulher I e II, Saúde da Criança I e II e Neonatologia. Destaque para o dia 22, às 13h30, quando a preceptora Pollyana Canuto e os alunos do Estágio Supervisionado I realizarão a atividade Agosto Dourado na UBSF Ronaldo Cunha Lima”, completa Cidney.

Deixe seu comentário

*
*
Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Falabarreiras. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Falabarreiras poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto. É possível digitar até 600 caracteres. Os comentários que estiverem escritos em letras maiúsculas e tiverem links serão rejeitados.