10 mitos e verdades sobre o sono

Muito se fala sobre a importância do sono. Mas afinal, o que é verdade ou mentira sobre esse tema? Confira alguns mitos e verdades sobre o sono com o Dr. Francisco Hora Fontes, coordenador do Laboratório do Sono do Hospital Português. O SONO É FUNDAMENTAL À VIDA, resistiremos a mais tempo sem comer e sem […]

Em 20/01 de 2014

Muito se fala sobre a importância do sono. Mas afinal, o que é verdade ou mentira sobre esse tema? Confira alguns mitos e verdades sobre o sono com o Dr. Francisco Hora Fontes, coordenador do Laboratório do Sono do Hospital Português.

01O SONO É FUNDAMENTAL À VIDA, resistiremos a mais tempo sem comer e sem beber água do que sem dormir. O SONO tem funções indispensáveis: Reenergizador físico e mental, regulador da temperatura corporal, regulador das funções cognitivas, produtor de imunidade, responsável pelo crescimento, protetor contra o infarto e derrame cerebral, além de uma dezena de outras funções não menos importantes.

Confira os mitos e verdades:

Todos devem dormir oito horas diárias.
Mito. A duração do sono varia ao longo da vida, desde o bebê que dorme mais de 50% das 24 horas até o idoso, que dormirá em torno de 10% deste mesmo período.

Portanto, ao longo da vida perdemos sono em quantidade e em qualidade. Assim, por exemplo, o sono do bebê tem mais de 50% do seu percurso em sono REM (sono de alta qualidade emocional e cognitiva) e no idoso isto cai para até menos de 10%. Algumas pessoas fogem a essa média: os dormidores curtos, que precisam de 4-5 horas para dormir e os dormidores longos que costumam dormir mais de oito horas por dia, por questões hereditárias mesmo. Além disso, a fauna humana costuma se dividir entre os corujas (aquelas pessoas que têm maior disposição à noite) e o contrário – os madrugadores (dormem cedo e “acordam antes do galo cantar”).

É possível compensar as poucas horas de sono durante a semana dormindo mais no fim de semana.

Verdade Parcial. Quanto mais jovem, mais teremos essa capacidade de recuperação. Depois dos 40 anos, essa capacidade de recuperação cai muito levando à privação crônica de sono.

Quando sonhamos dormimos melhor.

Verdade. O sonho é a “fonte da eterna juventude”, pois, quem dorme bem, atinge mais o sono REM (o sono dos sonhos) melhora a sua afetividade, memória, inteligência e desempenha melhor as suas tarefas no dia seguinte.

Praticar exercícios físicos ajuda a dormir melhor.

Verdade. Sim, mas na hora certa. O ideal é que essa prática seja aeróbica e ocorra nas primeiras horas da manhã (seis-oito horas) seguindo o nosso ritmo hormonal próprio (cortisol, melatonina, endorfinas etc.) . A prática de atividades físicas próxima à hora de dormir (intervalo inferior a duas horas) é prejudicial ao sono.

A insônia aumenta o risco de diversas doenças.

Verdade. A insônia diminui a imunidade do organismo, favorecendo o surgimento de gripes frequentes, candidíase, herpes etc. e promove alterações cardiovasculares e metabólicas que predispõem a hipertensão, diabetes, infarto do miocárdio e derrame cerebral. Além disso, contribui para o agravamento da depressão e doenças psiquiátricas mais sérias.

Um copo de leite quente, antes de deitar, ajuda a dormir melhor.

Verdade. Na medida em que promove o aquecimento da bolha de ar gástrica no estômago levando a uma sensação de plenitude que pode favorecer o sono, assim chamado, pós-prandial.

O consumo de café pode provocar insônia.

Verdade. A cafeína é um poderoso estimulante, assim como as suas primas, cocaína e nicotina e, portanto, “roubam” o sono das pessoas.

Dormir pouco engorda.

Verdade. Os hormônios que regulam o apetite em nosso organismo, principalmente a grelina e a leptina são “controlados” durante o sono normal.

Assim, quem dorme mal terá menos leptina (que tira a fome) e mais grelina (que aumenta a fome) e o resultado desta conta será mais “engordamento”.

Além do fato de que dormir mal aumenta a chance de comer durante a noite e gera um quadro crônico de sono não reparador tornando a pessoa sempre cansada e desmotivada à prática de atividade física.

Álcool ajuda a dormir.

Parcialmente verdade. Em circunstâncias esporádicas, num contexto social de relaxamento e em pequenas doses, sim. Mas o uso continuado leva a dependência e isto compromete a qualidade do sono, principalmente do sono REM, além das outras situações como refluxo gastroesofágico, por exemplo.

Dormir de barriga para cima faz roncar.

Verdade. Esta é a posição que mais favorece o fechamento da via aérea superior (região da garganta) levando às apneias e aos roncos.

Fonte: IBahia.com

Deixe seu comentário

*
*
Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Falabarreiras. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Falabarreiras poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto. É possível digitar até 600 caracteres. Os comentários que estiverem escritos em letras maiúsculas e tiverem links serão rejeitados.