Sua vida anda meio “salgada”?

Marcio Zeppelini O sal no copo O velho Mestre pediu à pequena Júlia, que estava triste e desolada, que colocasse uma mão cheia de sal num copo de água e bebesse. – Qual é o gosto? – perguntou o Mestre. – Ruim – disse a garota. O Mestre sorriu e pediu à jovem que pegasse […]

Em 18/05 de 2018

Marcio Zeppelini

O sal no copo

O velho Mestre pediu à pequena Júlia, que estava triste e desolada, que colocasse uma mão cheia de sal num copo de água e bebesse.

– Qual é o gosto? – perguntou o Mestre.
– Ruim – disse a garota.

O Mestre sorriu e pediu à jovem que pegasse outra mão cheia de sal e levasse a um lago. Os dois caminharam em silêncio e a menina atirou o sal para o lago. Então, o velho Mestre disse:

– Beba um pouco dessa água.

Enquanto a água escorria pelo queixo, o Mestre perguntou:
– Qual é o gosto?
– Bom! – disse Júlia.

– Agora sentes o gosto do sal? – perguntou o Mestre.
– Não – disse a jovem.

– A dor na vida de uma pessoa não muda – proferiu o mestre – Mas o sabor da dor depende do lugar onde a colocamos. Então, quando tu sentires dor, a única coisa que deves fazer é aumentar o sentido das coisas. Deixe de ser um copo, torne-se um lago…

MARCIO ZEPPELINI – Comunicador, palestrante motivacional, empresário e empreendedor social. É presidente do Instituto Filantropia e diretor executivo da Zeppelini Editorial. Autor do livro “Comunicação e Marketing para Projetos Sociais” e do livro “Inspirações e Atitude!”. Criador do programa “+Atitude” de inspiração e desenvolvimento humano | Foto: Divulgação

Aumente o espaço em seu coração
Àqueles que remoem cada acontecimento triste na vida, um alerta: o coração apertado não tem lugar para que as alegrias entrem. Se você preencher seu coração e pensamentos com os fatos tristes de sua vida, as alegrias, sentindo-se acanhadas, darão o fora e buscarão corações mais espaçosos.

É inegável – eu diria inevitável: passaremos por situações tristes em nossas vidas. Pela lei natural da vida, nossos pais e avós vão-se embora do plano Terrestre antes de nós. Meu pai, por exemplo, faleceu repentinamente aos 70 anos, em 2009. Em outros casos, ainda mais tristes, contrariando essa ordem natural, alguns despedem-se de filhos ou netos.

Outros acontecimentos deixarão cicatrizes em seu corpo e alma: situações financeiras difíceis, brigas de família, decepções amorosas… dentre tantos outros “testes” que a vida nos impõe – desafios estes que, para nossa plenitude, precisamos superar.

E não há como descrever como é a dor da saudade, da tristeza, do vazio. Mas dá para mensurar o SEU tamanho e, quanto maior VOCÊ for, quanto maior for o universo das suas oportunidades, o sabor dessa dor será menor e mais fácil de ser digerido.

Está triste com algo? Aumente seu universo. Isso não diminuirá sua dor, mas a sensação será bem menor.

Receba agora o meu abraço, cheio de ATITUDE, do tamanho do seu UNIVERSO!

Está triste com algo? Aumente seu universo. (MZ)

Fonte: www.marciozeppelini.com.br

Deixe seu comentário

*
*
Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Falabarreiras. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Falabarreiras poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto. É possível digitar até 600 caracteres. Os comentários que estiverem escritos em letras maiúsculas e tiverem links serão rejeitados.