Sindsemb faz representação contra o município e contra o prefeito de Barreiras

Ascom Sindsemb O Sindicato dos Servidores Municipais de Barreiras (SINDSEMB), protocolou uma representação no Ministério Publico, contra o Município de Barreiras e o Gestor, Senhor Antônio Henrique. O sindicato solicita a intervenção do MP no sentido de apurar a prática do crime de desobediência, face ao descumprimento da decisão judicial proferida pela Juíza da Vara […]

Em 06/02 de 2015

Ascom Sindsemb

O Sindicato dos Servidores Municipais de Barreiras (SINDSEMB), protocolou uma representação no Ministério Publico, contra o Município de Barreiras e o Gestor, Senhor Antônio Henrique. O sindicato solicita a intervenção do MP no sentido de apurar a prática do crime de desobediência, face ao descumprimento da decisão judicial proferida pela Juíza da Vara da Fazenda Pública de Barreiras, bem como pede providências no sentido de apurar a prática de ato de improbidade administrativa por dano ao erário público devido ao pagamento futuro de multa pelo descumprimento da decisão judicial.

01
Prefeito Antonio Henrique e pátio da prefeitura de Barreiras | Fotos: reprodução internet

A ação do sindicato se deu em virtude do descumprimento da decisão judicial, proferida pela magistrada da fazenda pública do município, DRª. Marlize Alvarenga, que determinou ao Município que suspendesse os efeitos da Portaria 03/2014, determinando a retomada do desconto da contribuição sindical de (1%), na folha de pagamento dos servidores. A decisão judicial foi proferida em 09 de julho de 2014, fixando multa diária de R$ 5.000,00 caso de descumprimento. Esse valor foi ampliado para R$ 10.000,00 por dia de atraso no dia 09 de dezembro de 2014, também por decisão judicial. Entretanto, até o momento o Prefeito de Barreiras não deu ouvidos à justiça e continua descumprindo a ordem da juíza.

A situação se agravou este ano, pois o desconto começou a ser realizado, mas não foi repassado ao Sindicato da forma devida. Não satisfeito, o Gestor determinou, mais uma vez, apesar de ordem judicial o mandando fazer o contrário, SUSPENDER OS DESCONTOS, pois o desconto deixou novamente de ser incluído nos contracheques do mês de janeiro dos funcionários, a atitude do governo faz a entender que se trata de uma manobra politica para desestabilizar o trabalho realizado pelo sindicato em prol dos sindicalizados.

Deixe seu comentário

*
*
Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Falabarreiras. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Falabarreiras poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto. É possível digitar até 600 caracteres. Os comentários que estiverem escritos em letras maiúsculas e tiverem links serão rejeitados.