Secretário estimula exportação de produtos da agricultura familiar

Viviane Cruz | Josalto Alves | Ascom Seagri “O esforço dos produtores e o vigor da agricultura familiar baiana são inquestionáveis, colocando no mercado produtos de alta qualidade como café, cachaça, cacau, dentre outros, reconhecidos internacionalmente. E o nosso desejo é que esse segmento amplie as exportações dos seus produtos”. Foi o que disse o […]

Em 08/12 de 2014

Viviane Cruz | Josalto Alves | Ascom Seagri

01“O esforço dos produtores e o vigor da agricultura familiar baiana são inquestionáveis, colocando no mercado produtos de alta qualidade como café, cachaça, cacau, dentre outros, reconhecidos internacionalmente. E o nosso desejo é que esse segmento amplie as exportações dos seus produtos”. Foi o que disse o secretário estadual da Agricultura, Jairo Carneiro, ao participar no começo da noite dessa sexta-feira, no Parque de Exposições de Salvador, das comemorações pela conquista da Identificação Geográfica da Cachaça de Abaíra, fornecida pelo Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento (Mapa).

O secretário reafirmou a prioridade do governo Jaques Wagner para a agricultura familiar, e destacou as parceiras mantidas com o governo federal e com instituições como o Sebrae, para a tecnificação e qualificação do pequeno agricultor, e preparação dos produtos para chegar ao mercado com maior qualidade. Jairo Carneiro lembrou que a agropecuária responde por 24% do PIB baiano, sendo 7% desse percentual oriundo da agricultura familiar, e afirmou que “esse segmento tem potencial para ampliar sua participação no PIB, e é isso que almejamos, pois vai representar aumento de produção, de renda e melhoria da qualidade de vida”.

Identificação Geográfica
Conhecida internacionalmente, a cachaça de Abaíra, já exportada para diversos países europeus, conquistou em novembro desse ano o reconhecimento de Identificação Geográfica, fornecido pelo Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento (Mapa). Esse status garante à cachaça o reconhecimento de sua reputação, qualidades e características que estão vinculadas à região onde é produzida, na Chapada Diamantina.

A Secretaria da Agricultura do Estado da Bahia (Seagri), através da Empresa Baiana de Desenvolvimento Agrícola (EBDA), incentiva esta cultura, desde a plantação da cana-de-açúcar, até a produção da cachaça na região, que engloba os municípios de Abaíra, Jussiape, Mucugê e Piatã. A Seagri/EBDA garante assistência técnica (Ater) gratuitamente, aos agricultores familiares, que fazem da cana sua principal fonte de renda.

O secretário Jairo Carneiro ressalta a importância da Seagri/EBDA, que desde os anos 80 vem buscando junto aos agricultores, o aperfeiçoamento da produção, através de assistência técnica e capacitação dos produtores, modernização das agroindústrias, além da introdução e organização de novas variedades.

O governo do Estado estimula também o associativismo, criando um modelo de produção sustentável e agroindústrias comunitárias. “Seguimos equipando as cooperativas com estrutura moderna e qualificada, para alavancar a cadeia da cana-de-açúcar nesta região, e avançar na produção de cachaça e seus derivados, a exemplo de rapadura, açúcar mascavo e melaço, com mais qualidade, e é isso que estamos fazendo”, disse Carneiro.

De acordo com o presidente da Empresa Baiana de Desenvolvimento Agrícola (EBDA), Elionaldo Faro Teles, que também participou da solenidade, “a cana-de-açúcar é uma das cadeias produtivas mais importantes, por seu aspecto social, envolvendo milhares de agricultores familiares. Por isso mesmo, o governo olha para esse segmento com prioridade, criando condições necessárias para o seu desenvolvimento”.

Deixe seu comentário

*
*
Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Falabarreiras. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Falabarreiras poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto. É possível digitar até 600 caracteres. Os comentários que estiverem escritos em letras maiúsculas e tiverem links serão rejeitados.