(Imagens fortes) Identificação de cadáveres através da necropapiloscopia diminui o sofrimento de pessoas com familiares envolvidos em morte violenta

Alberto Estaine Guerra Durão E aí caro leitor, qual é a dúvida? Os peritos em papiloscopia são peritos oficiais de estado e realizam relevantes trabalhos sociais. Quando um cidadão tem algum conhecido com vínculo afetivo, seja por amizade ou ligação familiar, dentro de um Instituto Médico Legal, a dor pela espera da identificação e liberação […]

Em 16/04 de 2015

IMPRESSAO

Alberto Estaine Guerra Durão

E aí caro leitor, qual é a dúvida? Os peritos em papiloscopia são peritos oficiais de estado e realizam relevantes trabalhos sociais.

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Quando um cidadão tem algum conhecido com vínculo afetivo, seja por amizade ou ligação familiar, dentro de um Instituto Médico Legal, a dor pela espera da identificação e liberação do cadáver é imensa, gerando angústia e desespero. Nesse momento, destacam-se os trabalhos dos especialistas em determinação de identidades.

Todas as técnicas periciais de análises cadavéricas capazes de conferir confirmações de identidade de indivíduos são cientificamente aceitas e muito seguras. Quando falamos de técnicas aceitas no meio científico, falamos da necropapiloscopia, da odontologia legal e do DNA.

A odontologia legal mostra-se como um meio de investigação relativamente barato e muito seguro. Os peritos especialistas nesse segmento são os Peritos Odonto Legais. A ciência pericial dos dentistas depara-se com a dificuldade de localização da peça padrão (imagem das arcadas dentárias registradas durante a consulta ao dentista), pois a população brasileira ainda tem restrições financeiras de acesso ao especialista odontólogo, principalmente as pessoas com baixo poder aquisitivo, que são os mais expostos à violência. Tal realidade dificulta alguns processos de identificação pelos dentes.

Avaliação dos peritos papiloscopistas / odontologia legal | Fotos: Divulgação

Avaliação dos peritos papiloscopistas / odontologia legal | Fotos: Divulgação

Outro processo muito confiável, de extrema relevância e de igual importância é o processo de identificação através do DNA, realizado constantemente pelos peritos criminais. A técnica do DNA tem ajudado a solucionar casos policiais ao redor do mundo, sendo utilizado para identificar cadáveres, geralmente, como última alternativa, pois o procedimento policial adota a necropapiloscópica e odontologia legal como métodos adequados nas primeiras tentativas. O uso do DNA também apresenta algumas limitações, pois os peritos criminais ainda não possuem um banco de dados de material genético, o que serviria como peça padrão e base de comparações. Além disso, é o recurso mais caro e demorado de todos os processos, o que o coloca como o último recurso a ser utilizado nas ocorrências policiais.

A necropapiloscopia é a ciência de identificação humana através das digitais que tem como objetivo a identificação dos mortos. Os Peritos Papiloscopistas são responsáveis por cerca de 90 por cento das identificações cadavéricas. O método necropapiloscópico é o mais rápido e barato e com 100 por cento de segurança. Atende de forma ágil as demandas sociais, pois responde de forma precisa e ajuda a liberação imediata de pessoas em necrotérios ou unidades policiais. A necropapiloscopia não é eficiente nos exames de cadáveres que perderam as mãos, os que nunca tiveram identidade e aqueles que tiveram um grau de destruição tamanho que atingiu a derme, camada da pele que concentra as ranhuras que delineiam os desenhos papilares.

Cadáver no IML / Perito em papiloscopia Rolemberg Macedo | Fotos: Divulgação

Cadáver no IML / Perito em papiloscopia Rolemberg Macedo | Fotos: Divulgação

Mesmo possuindo uma ciência forte e robusta, os peritos em papiloscopia encontram grandes desafios para publicarem seus trabalhos, pois não são citados explicitamente como peritos na lei 12.030/09. Mas se fizermos uma análise jurídica, encontramos farta jurisprudência de tribunais e entendimentos de juristas para justificar a legalidade da ação desses profissionais.

A matéria é pacificada na doutrina, e segundo Guilherme de Souza Nucci, perito é o especialista em determinado assunto. Segundo o Tribunal Regional da segunda Região, os especialistas oficiais são os investidos em função pública para a elaboração de laudos técnicos na elucidação de um ilícito. Ao julgar a ADI 1477-3, o Supremo Tribunal Federal também reconheceu a possibilidade de lei estadual conferir aos papiloscopistas a garantia de independência para a elaboração de seus laudos oficiais.

Comparação de digitais de cadáveres / Intervenção de peritos papiloscopistas em acidentes aéreos | Fotos: Divulgação

Comparação de digitais de cadáveres / Intervenção de peritos papiloscopistas em acidentes aéreos | Fotos: Divulgação

Os especialistas em digitais buscam o reconhecimento das instituições e da sociedade, argumentando que podem fazer muito mais para a população brasileira, mas é necessária a conquista da tão sonhada independência. Ainda segundo Alexandre Camanho, representante dos procuradores da república, “provas não disputam por hierarquia: o que importa é que elas tenham sido produzidas de modo juridicamente idôneo e sejam capazes de demonstrar – com segurança – a existência ou inexistência de um fato, a falsidade ou a veracidade de uma afirmação e, dessa forma, formar a convicção do julgador”.

Intervenção de peritos papiloscopistas em acidentes aéreos / Cenário encontrado pelos especialistas depois de acidentes | Fotos: Divulgação

Intervenção de peritos papiloscopistas em acidentes aéreos / Cenário encontrado pelos especialistas depois de acidentes | Fotos: Divulgação

Os peritos em papiloscopia não querem mais gastar tempo e energia provando que são peritos em condições de igualdade com os seus pares, acreditando que o poder de seus trabalhos pode trazer uma sensação de justiça e de duro golpe na impunidade. Os especialistas se aprimoram a cada dia, e vão continuar amenizando a dor da sociedade brasileira quando se depararem com situações de extremo estresse e perdas de entes queridos.

Cenário encontrado pelos especialistas depois de acidentes / Avaliação de vítimas em cenas de desastre / Perito papiloscopista identificando pessoas | Fotos: Divulgação

Cenário encontrado pelos especialistas depois de acidentes / Avaliação de vítimas em cenas de desastre / Perito papiloscopista identificando pessoas | Fotos: Divulgação

Durao

5 comentários

Vinícius Pereira
Comentou em 17/04/15

A Necropapiloscopia tem um papel social imensurável, só quem aguarda a identificação de um ente querido tem noção da importância. Propícia a Família o direito de se despedir de forma digna. Além de ser a forma mais rápida e menos onerosa ao Estado.

Antonione
Comentou em 17/04/15

A papiloscopia é coisa divina, pois em meio a bilhões de pessoas ninguém tem a mesma impressão digital. Os Peritos em Papiloscopia se utilizam dessa ciência para identificar pessoas de forma rápida e eficiente, amenizando dessa forma o sofrimento das famílias. O Estado da Bahia precisa se igualar a nosso vizinho Pernambuco onde o Perito Papiloscopista é reconhecido e valorizado.

José Carlos
Comentou em 17/04/15

Necro Papiloscopia!
Trabalho interessante. Essa ciência deve ser mais valorizada.
Ameniza o sofrimento das famílias e economiza milhares de reais dos cofres públicos.
Parabéns aos especialistas em Papiloscopia.

observador
Comentou em 17/04/15

Importante trabalho.
Parabéns!

Marcelo
Comentou em 20/04/15

Trabalho de muito valor e responsabilidade! Parabens!

Deixe seu comentário

*
*
Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Falabarreiras. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Falabarreiras poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto. É possível digitar até 600 caracteres. Os comentários que estiverem escritos em letras maiúsculas e tiverem links serão rejeitados.