Fruticultura no Vale do São Francisco é uma das prioridades da Adab

Josalto Alves | Ascom Adab Com objetivo de discutir ações voltadas para o combate das pragas que atingem a fruticultura da região, a exemplo da mosca-das-frutas (Ceratitis capitata), na região do Vale do são Francisco, o diretor-geral da Agência de Defesa Agropecuária da Bahia (Adab), Oziel Oliveira, esteve reunido com o deputado estadual, Roberto Carlos, […]

Em 07/03 de 2015

Josalto Alves | Ascom Adab

01Com objetivo de discutir ações voltadas para o combate das pragas que atingem a fruticultura da região, a exemplo da mosca-das-frutas (Ceratitis capitata), na região do Vale do são Francisco, o diretor-geral da Agência de Defesa Agropecuária da Bahia (Adab), Oziel Oliveira, esteve reunido com o deputado estadual, Roberto Carlos, nesta primeira semana de março, na sede da Agência, em Salvador. A fruticultura é a principal atividade econômica da região e se a praga não for combatida, o resultado será a depreciação do produto, o aumento dos custos da produção, a perda de milhares de empregos diretos, e dos mercados interno e externo.

“Precisamos dar sequência e dedicar-se mais ao plano emergencial contra a infestação de mosca-das-frutas, que vem causando prejuízos às culturas de manga, uva, acerola e goiaba – principais hospedeiros das moscas. O governo de Pernambuco já injetou recursos financeiros para as atividades de Defesa. É preciso unir esforços acelerar neste processo de combate da praga e defender os pomares do território baiano”, disse o deputado.

O diretor-geral da Agência, órgão vinculado à Secretaria da Agricultura do Estado (Seagri), garantiu que já conversou com a equipe técnica, que vai agir veementemente para resolver o problema no norte da Bahia. Desde setembro do ano passado, os engenheiros agrônomos da Agência estão mobilizados com o objetivo de monitorar e fiscalizar os produtores sobre as medidas fitossanitárias do Plano Emergencial de combate à praga. “Garanto que a Adab vai continuar dando prioridade ao Plano que envolve controle biológico e monitoramento em áreas de produtores de base familiar, situados nos perímetros irrigados do Vale do São Francisco, através de um sistema de controle integrado”, completou Oziel.

A diretoria da ADAB deixa claro que é o momento de buscar soluções, por meio de políticas públicas para a região que é o primeiro pólo de produção de frutas do Estado, com 45 mil hectares cultivados, responsável por 98% das exportações de uva e 92% das exportações de manga do país.

Deixe seu comentário

*
*
Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Falabarreiras. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Falabarreiras poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto. É possível digitar até 600 caracteres. Os comentários que estiverem escritos em letras maiúsculas e tiverem links serão rejeitados.