Estrada recuperada em Canápolis gera desenvolvimento para o município

Virgília Vieira | Ascom Abapa Com cerca de 800 km recuperados, desde a sua fundação, o Projeto de Conservação dos Recursos Naturais da Lavoura de Algodão da Associação Baiana dos Produtores de Algodão (Abapa), o Patrulha Mecanizada – que tem como objetivo melhorar a trafegabilidade nas estradas vicinais, favorecendo o escoamento da safra, e principalmente, […]

Em 02/11 de 2016

Virgília Vieira | Ascom Abapa

Com cerca de 800 km recuperados, desde a sua fundação, o Projeto de Conservação dos Recursos Naturais da Lavoura de Algodão da Associação Baiana dos Produtores de Algodão (Abapa), o Patrulha Mecanizada – que tem como objetivo melhorar a trafegabilidade nas estradas vicinais, favorecendo o escoamento da safra, e principalmente, benefícios ao meio ambiente –, acaba de concluir a obra de recuperação de 70 km da malha viária no trecho que sai da sede de Canápolis, passa pelos distritos rurais de Vaca Morta e Cocos (município de Baianópolis), e vai até o povoado de Campo Grande, já no município de São Desidério.

O trecho sai da sede da cidade de Canápolis e vai até o povoado de Campo Grande, em São Desidério | Foto: Virgília Vieira

O trecho sai da sede da cidade de Canápolis e vai até o povoado de Campo Grande, em São Desidério | Foto: Virgília Vieira

“Esse trabalho, além de facilitar o escoamento da produção agrícola e chegada de insumos, trará benefícios sociais, como melhorias no deslocamento de pacientes para o Hospital do Oeste em Barreiras. Essa sempre foi uma demanda muito importante para o município, pois vai alavancar o progresso de Canápolis”, disse o representante do prefeito Rubiê Oliveira, o secretário de Educação de Canápolis, Ruy Caraúbas. Segundo ele, no trecho que vai do povoado de Campo Grande até Barreiras são mais 110 km, perfazendo um total de 178 km. “Com essa estrada, diminuiremos o trajeto em cerca de 120 km até Barreiras”, informou.

O presidente da Abapa, Celestino Zanella, ressaltou a importância do projeto ao longo dos anos, tanto para o meio ambiente e agricultura, quanto para o desenvolvimento social. “Podemos destacar como benefícios imediatos, a conservação do solo, com a construção das bacias de captação de água pluvial, desvios laterais de água e terraços, o ganho econômico, com o barateamento do transporte de insumos e produção, diminuição de manutenção de veículos e o ganho social, com a facilidade de deslocamento da população para outras localidades”, ressaltou Zanella.

A iniciativa foi viabilizada através de uma parceria entre a Abapa, Aiba, Prodeagro, Instituto Brasileiro do Algodão (IBA), Prefeitura de Canápolis e produtores rurais da região. Para o produtor Giovane Marquezan, essa obra sempre foi uma demanda dos agricultores e somente com a parceria da Abapa e outras entidades, foi possível realizar. “A intervenção traz redução de custos, na manutenção dos meios de transporte e no valor do frete. Sem essa parceria, não conseguiríamos arcar com essa obra. Enfim, estamos satisfeitos e contentes com os ganhos que esse projeto nos trouxe”, disse o Giovane.

Segundo o coordenador do Patrulha Mecanizada, David Tavares, o trecho tinha alguns pontos críticos, como as duas serras ligadas à estrada, onde era inviável o tráfego de caminhões. “A população enfrentava dificuldades em trafegar por essa estrada. Principalmente, por conta desses pontos críticos nas serras, que eram bastante íngremes e de difícil acesso. O trabalho feito, melhorará 100% a logística de caminhões e outros transportes”, disse David.

O Projeto – Criado em 2013, pela Abapa, o projeto já recuperou estradas no município de Barreiras, São Desidério, Formosa do Rio Preto e Luís Eduardo Magalhães. A próxima estrada recuperada será no município de Jaborandi, com previsão de início para o próximo mês.

Deixe seu comentário

*
*
Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Falabarreiras. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Falabarreiras poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto. É possível digitar até 600 caracteres. Os comentários que estiverem escritos em letras maiúsculas e tiverem links serão rejeitados.