Embasa inicia obra para aumentar cobertura da rede de esgoto em Luís Eduardo Magalhães, no oeste da Bahia

Ascom Embasa A Empresa Baiana de Águas e Saneamento (Embasa) vai investir, ao longo do ano, cerca de R$ 4 milhões, com recursos próprios, para aumentar a cobertura da rede de esgotamento sanitário de Luís Eduardo Magalhães, no oeste da Bahia. A obra, iniciada no mês de março, prevê que sejam implantadas 7,2 mil novas […]

Em 06/04 de 2016

Ascom Embasa

Embasa-inicia-obra-para-aumentar-cobertura-01A Empresa Baiana de Águas e Saneamento (Embasa) vai investir, ao longo do ano, cerca de R$ 4 milhões, com recursos próprios, para aumentar a cobertura da rede de esgotamento sanitário de Luís Eduardo Magalhães, no oeste da Bahia. A obra, iniciada no mês de março, prevê que sejam implantadas 7,2 mil novas ligações de esgoto depois da execução de 1,7 mil ramais prediais (estrutura que liga a rede coletora à caixa de inspeção na calçada) e 5,5 mil caixas de inspeção. Serão beneficiados os imóveis localizados nos bairros Jardim Paraíso, Mimoso I, Mimoso II e Santa Cruz, na sede de Luís Eduardo Magalhães.

Segundo o gerente regional da Embasa, Francisco Araújo Andrade, esta intervenção contempla aqueles bairros que já contam com a rede coletora e que precisam de complementação para finalizar as ligações de esgotos dos imóveis. “Depois dos investimentos realizados pela Embasa para a adequação de estruturas como a estação de tratamento de esgoto e aquisição de equipamentos para as estações elevatórias [estrutura com conjunto motor-bomba para bombeamento dos esgotos para tratamento], estamos trabalhando para beneficiar diretamente a população com a operação do sistema de esgoto que será realizado gradualmente nos bairros da cidade”, afirma.

Antes de liberar a rede coletora, os moradores serão notificados para executar as suas ligações intradomiciliares no prazo máximo de 90 dias. De acordo com a lei estadual nº 7.307/98 e decreto estadual nº 7.765/00, o proprietário ou morador é obrigado a fazer a ligação do seu imóvel à rede coletora de esgoto a partir do momento em que está disponível. Durante o processo de notificação, a área social da Embasa orienta que o escoamento das águas das chuvas dos quintais das casas deve ir para um sistema próprio de drenagem, caso exista, ou diretamente para a via pública; e que os moradores passem a evitar jogar lixo na rede de esgoto como forma de prevenir obstruções.

Em operação / Com investimento total de R$ 28,5 milhões com recursos do Programa de Revitalização do rio São Francisco, o Sistema de Esgotamento Sanitário (SES) foi construído pela Companhia de Companhia de Desenvolvimento do Vale do São Francisco (Codevasf). A Embasa iniciou a operação do SES em 2014, depois de intervenções para complementação da obra, no total de R$ 1,2 milhão com recursos próprios, garantindo atualmente a coleta e tratamento de esgotos domésticos de 2,5 mil imóveis dos seguintes bairros: Centro, Cidade Universitária, Jardim Paraíso, Mimoso I e II, Sol do Cerrado, Solar dos Buritis e Vista Alegre.

Deixe seu comentário

*
*
Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Falabarreiras. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Falabarreiras poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto. É possível digitar até 600 caracteres. Os comentários que estiverem escritos em letras maiúsculas e tiverem links serão rejeitados.