Edital oferece R$ 1,25 milhão em apoio a projetos de conservação da natureza

Bruna Habinoski Mais de 380 projetos já tiveram suporte do programa da Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza no Norte e Nordeste; interessados devem enviar suas propostas até 31 de março Muitas espécies como o tatu-bola, o soldadinho-do-araripe, a anta-pretinha, o golfinho tucuxi e o peixe-boi-da-amazônia já foram beneficiadas pelo Programa de Apoio a […]

Em 21/03 de 2017

Bruna Habinoski

Mais de 380 projetos já tiveram suporte do programa da Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza no Norte e Nordeste; interessados devem enviar suas propostas até 31 de março

Soldadinho-do-araripe | Foto: Ciro Albano

Soldadinho-do-araripe | Foto: Ciro Albano

Muitas espécies como o tatu-bola, o soldadinho-do-araripe, a anta-pretinha, o golfinho tucuxi e o peixe-boi-da-amazônia já foram beneficiadas pelo Programa de Apoio a Ações de Conservação, da Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza. Até 31 de março novas iniciativas em prol da conservação da biodiversidade podem ser inscritas no site da entidade

O Programa já apoiou 1.493 projetos em todo o país, dos quais 387 no Norte e Nordeste do país, visando potencializar a geração de conhecimento com pesquisas e estudos sobre a biodiversidade brasileira, além de estimular ações que promovam mudanças positivas no cenário ambiental do País.

As inscrições para a primeira chamada anual de 2017 do Edital de Apoio a Projetos devem ser realizadas no site www.fundacaogrupoboticario.org.br, na seção Editais da página inicial. Serão selecionadas iniciativas para receber o apoio financeiro em todas as regiões brasileiras.

Para o biólogo Mario Alberto Cozzuol, responsável pelo projeto “Uma nova espécie de anta (Tapirus) da Amazônia sul-ocidental”, que recebeu apoio da Fundação Grupo Boticário, os editais são “extremamente importantes” para quem trabalha com conservação no Brasil. “O incentivo da Fundação Grupo Boticário me deu a possibilidade de concluir uma parte do estudo e avançar consideravelmente em outra, foi uma grande ajuda. Descrevemos em primeiro momento a anta-pretinha e em um segundo momento, iniciamos os estudos de distribuição da espécie”, comenta o pesquisador.

Linhas temáticas
O edital é dividido em três linhas temáticas. A primeira busca a criação ou ampliação de Unidades de Conservação de Proteção Integral e Reservas Particulares do Patrimônio Natural (RPPNs), além de executar ações prioritárias indicadas em seus planos de manejo.

Outra linha prioriza iniciativas para proteger as espécies brasileiras ameaçadas de extinção. Esses projetos devem ter como objetivo colocar em prática as ações previstas nos Planos de Ação Nacional (PANs), buscando melhorar seus status de conservação. Também são previstas ações emergenciais para espécies ameaçadas que ainda não possuem ações previstas em algum PAN ou que visem o seu enquadramento em listas oficiais de ameaças.

O terceiro foco do edital volta-se para iniciativas que visem minimizar as ameaças à biodiversidade dos ecossistemas costeiros e marinhos, distantes da meta de proteção da Convenção da Diversidade Biológica – que indica a necessidade de conservar 10% desses ambientes, sendo que o Brasil protege atualmente apenas 1,5% destes ecossistemas em unidades de conservação.

“A partir de cada projeto selecionado reforçamos nossa razão de existir: promover e realizar ações de conservação da natureza brasileira. Cada edital representa várias oportunidades de participarmos dos mais diversos estudos e ações práticas de conservação, que são pragmáticos e cumprirão nosso objetivo”, afirma Malu Nunes, diretora executiva da Fundação Grupo Boticário.

Para concorrer ao apoio é preciso que a iniciativa seja realizada por instituições privadas sem fins lucrativos, como fundações ligadas a universidades e organizações não governamentais.

Em caso de dúvidas, os interessados podem contatar a equipe de Ciência e Informação da Fundação Grupo Boticário, pelo endereço edital@fundacaogrupoboticario.org.br.

Deixe seu comentário

*
*
Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Falabarreiras. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Falabarreiras poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto. É possível digitar até 600 caracteres. Os comentários que estiverem escritos em letras maiúsculas e tiverem links serão rejeitados.