Dois de Fevereiro é dia de reverenciar Oxum e Iemanjá

Dircom Barreiras Em Barreiras, o Rio Grande será palco da tradicional procissão fluvial que leva os orixás A Prefeitura de Barreiras está com a programação fechada para a Festa do Dois de Fevereiro, dia em que baianos saúdam as rainhas das águas Oxum e Iemanjá. A estrutura será montada ao longo do cais da cidade para […]

Em 21/01 de 2015

Dircom Barreiras

A festa está incorporada ao calendário cultural de Barreiras | Foto: Dircom Barreiras

A festa está incorporada ao calendário cultural de Barreiras | Foto: Dircom Barreiras

Em Barreiras, o Rio Grande será palco da tradicional procissão fluvial que leva os orixás A Prefeitura de Barreiras está com a programação fechada para a Festa do Dois de Fevereiro, dia em que baianos saúdam as rainhas das águas Oxum e Iemanjá. A estrutura será montada ao longo do cais da cidade para receber turistas e populares que forem prestigiar o evento, organizado pela Secretaria Municipal de Cultura, Esporte e Turismo.

O Dois de Fevereiro está incorporado ao calendário cultural de Barreiras, e é realizado em parceria com as Secretarias de Infraestrutura, Serviços Públicos e Meio Ambiente e com os grupos dos terreiros de umbanda, de candomblé, grupos de capoeira, reisados, areeiros, músicos, percussionistas e outros atores da cultura local.

“As parcerias entre o poder público, empresários e os grupos culturais são formas de viabilizar e realização de eventos que além do lado histórico, promovem a geração de renda e inclusão social das comunidades”, diz a secretária de Cultura, Diana Macedo.

Programação – A partir das 16h as baianas estarão no terreiro montado na Praça Landulfo Alves recebendo as oferendas e benzendo, com água de cheiro, os participantes. A organização do evento orienta que somente sejam levadas flores naturais para evitar a contaminação das águas, recipientes de plástico e vidro serão proibidos.

Às 17h as baianas saem em cortejo até a rampa do Cais, espaço onde ocorrerão os rituais específicos, e, lá, esperam os areeiros que saem em cortejo do Trapiche e na  Churupita se unem à embarcação maior, que leva as imagens de Oxum e Iemanjá.

As orixás serão recebidas, na rampa do cais, ao som de atabaques e cânticos entoados por representantes dos terreiros de candomblé. Neste momento as oferendas às Rainhas das Águas serão colocadas em um barco para serem lançadas no Rio Grande.

A partir das 20h na Praça Landulfo Alves, a população poderá acompanhar as manifestações realizadas pelos representantes dos terreiros presentes na festa. Os areeiros também farão a distribuição de uma farofa que simboliza paz e prosperidade.

Este ano, pela proximidade com o Carnaval, deverá ocorrer uma integração natural das duas tradições do povo baiano, numa demonstração de religiosidade, ritos e ritmos da cultura popular.

O evento leva muita gente ao cais da cidade para acompanhar o cortejo fluvial que é o ponto alto da festa | Foto: Dircom Barreiras

O evento leva muita gente ao cais da cidade para acompanhar o cortejo fluvial que é o ponto alto da festa | Foto: Dircom Barreiras

Deixe seu comentário

*
*
Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Falabarreiras. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Falabarreiras poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto. É possível digitar até 600 caracteres. Os comentários que estiverem escritos em letras maiúsculas e tiverem links serão rejeitados.