Carnaval 2019: 5 dicas alimentares para não passar perrengue no carnaval

Nutricionista ensina os cuidados básicos para que nenhum folião ou viajante seja surpreendido durante um dos feriados mais esperados do país O Brasil está em contagem regressiva. Falta pouco mais de uma semana para o Carnaval. Época de diversão, descontração, viagens. Período em que muita gente experimenta uma culinária nova ou come algo “rapidinho” para […]

Em 22/02 de 2019

Foto: Reprodução Rádio Jornal

Nutricionista ensina os cuidados básicos para que nenhum folião ou viajante seja surpreendido durante um dos feriados mais esperados do país

O Brasil está em contagem regressiva. Falta pouco mais de uma semana para o Carnaval. Época de diversão, descontração, viagens. Período em que muita gente experimenta uma culinária nova ou come algo “rapidinho” para ganhar tempo. Mas para que uma intoxicação alimentar não comprometa a festa, é preciso cuidado. A alimentação balanceada também pode impedir que uma eventual fraqueza ou mal-estar sejam protagonistas dos dias de folga. Por isso, Sheyla Cordeiro, nutricionista do Grupo Pardini, levantou algumas dicas para que você curta a folia numa boa. Confira:

EVITE BARRAQUINHAS OU AMBULANTES
Nessa época do ano, os casos de gastroenterocolite – que provocam diarreia, vômito, febre e dores abdominais – tendem a aumentar. Isso porque a alta temperatura do verão propicia a proliferação de bactérias e vírus como salmonela, estafilococos, clostridium e rotavírus, quando o alimento não está armazenado e conservado adequadamente. “As toxinfecções podem se manifestar até 36 horas depois de consumir o alimento contaminado e podem durar até 7 dias, comprometendo todo o Carnaval”, explica a nutricionista. Para garantir bem-estar e muita disposição, alguns cuidados são necessários. Evite barraquinhas ou ambulantes na rua ou à beira do rio. Vale lembrar: a pessoa que está mexendo na comida não deve ser a mesma que lida com o dinheiro. “Como alternativa, pode-se optar por comprar os lanches em estabelecimentos já fiscalizados pela vigilância sanitária e que tenham um bom padrão de higiene e de armazenamento dos produtos”, acrescenta.

FUJA DA COMPRA DE PRODUTOS A GRANEL
Ficar de olho para ver se o produto está sendo vendido na embalagem original é outra recomendação importante. A dica é evitar comprar alimentos a granel, que ficam expostos. Principalmente carnes processadas, como salsicha, presunto, patê e hambúrguer. “Quando embalados, é possível checar a data de validade e se a embalagem está preservada”, ensina Sheyla. Assim fica mais fácil constatar se o alimento está próprio para o consumo.

DESVIE DE ALIMENTOS CRUS
Outro cuidado é com os alimentos crus, inimigos número um da infecção. Carnes cruas e ovos estão na lista dos itens que mais causam gastroenterocolite. Eles podem estar contaminados pela bactéria salmonela e provocar dores abdominais, vômitos, diarreia e febre. Peixes e crustáceos também exigem cautela por serem alimentos muito sensíveis ao calor e que estragam mais rápido do que a carne e o frango.

FIQUE ATENTO AO QUE SE DEVE CONSUMIR NA BEIRA DO RIO
A temperatura em que os alimentos são conservados também é essencial para evitar a proliferação de micro-organismos nocivos à saúde. Por isso, aquele famoso espetinho vendido pelos ambulantes à beira do rio ou o queijo coalho podem ser cilada. “Se for consumir algo à beira do rio, considere como opção de lanche o milho verde – sem a margarina ou manteiga -, uma fruta, picolé de fruta e água de coco”, aconselha a nutricionista.

ALIMENTE-SE. HIDRATE-SE.
Finalmente, é importante não esquecer de fazer uma refeição leve e nutritiva antes de sair para a folia, de se alimentar a cada 3 ou 4 horas e manter a hidratação adequada ao longo de todo o dia, principalmente nas altas temperaturas. “Se for fazer uso de bebidas alcoólicas, a dica é alternar o consumo com muita água, água de coco e sucos naturais, diminuindo assim a desidratação e a ressaca”, afirma a especialista do Grupo Pardini. Vale fugir de frituras e alimentos gordurosos uma vez que a digestão deles é mais lenta, podendo comprometer a disposição para aproveitar a festa.

Sobre o Grupo Pardini
O Grupo Pardini é o terceiro maior player em Medicina Diagnóstica e Preventiva do país.

Deixe seu comentário

*
*
Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Falabarreiras. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Falabarreiras poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto. É possível digitar até 600 caracteres. Os comentários que estiverem escritos em letras maiúsculas e tiverem links serão rejeitados.