Câmara Setorial do Algodão discute medidas urgentes para o setor

Marília Moreira | Ascom Abrapa Câmara Setorial da Cadeia Produtiva do Algodão, em sua 39ª Reunião Ordinária e primeira sob a presidência de João Carlos Jacobsen Rodrigues, deu encaminhamento na manhã da quinta-feira, 07, na sede da Abrapa, em Brasília, às questões prioritárias para todos os setores, a exemplo do Plano Safra 2015/2016, a ser […]

Em 10/05 de 2015

Marília Moreira | Ascom Abrapa

João Carlos Jacobsen Rodrigues, presidente da Abrapa e da Câmara Setorial da Cadeia Produtiva do Algodão | Foto: Divulgação/Carlos Rudiney

João Carlos Jacobsen Rodrigues, presidente da Abrapa e da Câmara Setorial da Cadeia Produtiva do Algodão | Foto: Divulgação/Carlos Rudiney

Câmara Setorial da Cadeia Produtiva do Algodão, em sua 39ª Reunião Ordinária e primeira sob a presidência de João Carlos Jacobsen Rodrigues, deu encaminhamento na manhã da quinta-feira, 07, na sede da Abrapa, em Brasília, às questões prioritárias para todos os setores, a exemplo do Plano Safra 2015/2016, a ser anunciado dia 19 de maio. “A Câmara irá interceder no sentido que ao menos seja mantido o volume de recursos da safra anterior e que os juros não subam, para não elevar o custo de produção”, disse Jacobsen, explicando que essa posição atende à demanda encaminhada pela Abrapa e o Instituto Pensar Agropecuária.

Outra questão considerada de grande urgência é a publicação, pelo Mapa, da portaria que determina as regras e procedimentos relacionados à adoção de áreas de refúgio nas lavouras de algodão. “Corremos o risco de o País perder tudo o que foi investido em tecnologia nas plantações transgênicas. Vamos interceder junto à ministra Kátia Abreu, que foi uma grande defensora da biotecnologia quando estava no Senado, para que sensibilize a Secretaria da Defesa Agropecuária para a urgência da publicação da portaria, que já está pronta”.

Também muito discutido pelos membros da Câmara Setorial foram as possíveis consequências para o setor produtivo da taxação do PIS/COFINS sobre o Hedge. “Isso aumentará o custo de produção e irá impactar negativamente todo o agronegócio, desde o produtor até a indústria e o exportador”, explica Jacobsen, acrescentado que a Câmara levará o assunto ao Mapa, para que este interceda junto ao Ministério da Fazenda.

Esta reunião marcou também a despedida de Djalma de Aquino, gerente da Área de Fibras e Produtos Especiais e Regionais da Conab, que passará a atuar em outro setor da companhia. “Foram mais de 16 anos de serviços prestados por ele ao setor de algodão, fazendo levantamento das safras nos diversos estados. Trata-se de uma pessoa ímpar, empenhada, exemplar e que sempre pronta a dirimir dúvidas”, diz Jacobsen. Como representante da Conab na Câmara Setorial do Algodão, Djalma Aquino foi homenageado e recebeu os agradecimentos de todos pelo excelente trabalho realizado.

Deixe seu comentário

*
*
Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Falabarreiras. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Falabarreiras poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto. É possível digitar até 600 caracteres. Os comentários que estiverem escritos em letras maiúsculas e tiverem links serão rejeitados.