Aiba e Abapa solicitam melhorias nas estradas do Oeste baiano

Rassana Milcent | Ascomu AIBA Com a safra de grãos sendo escoada e o algodão com promessa de excelente produtividade para 2013/14, o presidente da Aiba, Júlio Cézar Busato, a presidente da Abapa, Isabel da Cunha, e a assessora da presidência da Aiba, Rosi Cerrato, estiveram com o novo  secretário estadual de Infraestrutura, Marcus Cavalcanti, […]

Em 15/04 de 2014

Rassana Milcent | Ascomu AIBA

01

Da esquerda para a direita: Rosi Cerrato, Júlio Cézar Busato, Isabel da Cunha e o secretário estadual de Infraestrutura, Marcus Cavalcanti

Com a safra de grãos sendo escoada e o algodão com promessa de excelente produtividade para 2013/14, o presidente da Aiba, Júlio Cézar Busato, a presidente da Abapa, Isabel da Cunha, e a assessora da presidência da Aiba, Rosi Cerrato, estiveram com o novo  secretário estadual de Infraestrutura, Marcus Cavalcanti, para dar as boas vindas ao gestor e solicitar melhorias nas estradas do Oeste da Bahia.

Diante da previsão de colher 3,4 milhões de toneladas de soja e 1,2 milhão de toneladas de algodão, foi explicado ao secretário que toda esta produção deverá percorrer centenas de quilômetros de estradas, algumas em péssimo estado de conservação, principalmente as vicinais, até chegar aos portos de Salvador e Santos, por onde será escoada. Também foi relatado ao secretário de Infraestrutura a necessidade de construção de novas rodovias.

O secretário Marcos Cavalcanti ouviu a solicitação dos produtores, compreendeu a importância da região para a economia do Estado e se comprometeu em promover melhorias no Oeste baiano.

Deixe seu comentário

*
*
Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Falabarreiras. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Falabarreiras poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto. É possível digitar até 600 caracteres. Os comentários que estiverem escritos em letras maiúsculas e tiverem links serão rejeitados.