Abapa participa de visita do ministro da Agricultura à região oeste da Bahia

Virgília Vieira | Asciom Abapa Na manhã da terça-feira, 19, o ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Neri Geller, acompanhado com os representantes de entidades, como a Associação Baiana de Produtores de Algodão (Abapa), Associação dos Irrigantes e Agricultores da Bahia (Aiba) e Sindicatos de Produtores Rurais, visitou o oeste baiano para conhecer as potencialidades […]

Em 21/08 de 2014

Virgília Vieira | Asciom Abapa

Representantes de entidades visitam Fazenda Warpol com ministro da Agricultura

Representantes de entidades visitam Fazenda Warpol com ministro da Agricultura

Na manhã da terça-feira, 19, o ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Neri Geller, acompanhado com os representantes de entidades, como a Associação Baiana de Produtores de Algodão (Abapa), Associação dos Irrigantes e Agricultores da Bahia (Aiba) e Sindicatos de Produtores Rurais, visitou o oeste baiano para conhecer as potencialidades agrícolas da região, em especial as plantações de algodão.

“A região oeste tem se destacado na produção de algodão e de grãos, é importante que os representantes do poder público federal acompanhem de perto esse desenvolvimento e conheçam as necessidades do setor produtivo. Nessa visita foi repassado ao ministro uma lista de demanda da região. Assim, esperamos resultados positivos”, disse a presidente da Abapa, Isabel da Cunha.

Além de acompanhar a colheita de algodão na Fazenda Warpol do Grupo Busato, em Roda Velha, distrito do município de São Desidério, o ministro participou de uma cerimônia no auditório do Senar em Luís Eduardo Magalhães, onde falou aos produtores rurais. “Esta é uma região muito promissora. A qualidade, o crescimento da produção e o grande desenvolvimento na tecnologia agrícola impressionam. É um exemplo de gestão técnica e ambiental da propriedade rural”, disse Geller.

O ministro também enfatizou sobre a necessidade de um avanço em relação à Legislação Trabalhista no Brasil. “O Ministério da Agricultura, irá trabalhar para que a nova legislação trabalhista avance. Não é possível aplicar uma legislação urbana no campo. O campo tem suas peculiaridades, depende do tempo, do clima, e de outros fatores, tanto para plantar, quanto para colher, e esses momentos não esperam. O ministério está se posicionando para quebrar a resistência e fazer com que essa nova legislação efetivamente aconteça”, enfatizou o ministro.

Participaram da visita a presidente da Abapa, Isabel da Cunha, o vice-presidente da Abrapa e diretor da Abapa, João Carlos Jacobsen, o presidente da Aiba, Júlio César Busato, o presidente do Sindicato dos Produtores Rurais de Barreiras, Moisés Schmidt, o presidente do Sindicato dos Produtores Rurais de Luís Eduardo Magalhães, Vanir Kölln, a vice-presidente da Fundação Bahia, Zirlene Zuttion, o deputado federal Oziel Oliveira, produtores rurais, e outras autoridades.

Safra 2013/14 – Nesta safra foram plantados cerca de 320 mil hectares de algodão no estado da Bahia. A colheita está em andamento com estimativa de serem colhidas 500 mil toneladas de algodão em pluma e 1,2 milhão de tonelada de algodão caroço. Além de algodão, o estado é uma grande potência agrícola na produção de soja e milho. Na safrinha foram plantados 270 mil hectares de milho e a estimativa é de que sejam colhidas 700 mil toneladas de milho no estado. De soja foram plantados 1,3 milhões de hectares e colhidos 3,3 milhões de toneladas.

João Carlos Jacobsen, Neri Geller e Isabel da Cunha

Durante a visita o ministro da agricultura, Neri Geller falou aos produtores no Auditório do Senar

Deixe seu comentário

*
*
Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Falabarreiras. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Falabarreiras poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto. É possível digitar até 600 caracteres. Os comentários que estiverem escritos em letras maiúsculas e tiverem links serão rejeitados.