Prefeitos do oeste iniciam construção de uma Rede Regional de Saúde

Foto: Cláudio Foleto Região oeste da Bahia passa por sérias dificuldades com a Saúde Pública. A intenção dos municípios é criar uma Rede que descentralize a aplicação dos Recursos Federais. Os municípios da região oeste possuem uma queixa unânime em relação à situação da saúde nos municípios. Em busca de uma alternativa para os problemas […]

Em 17/12 de 2013

Foto: Cláudio Foleto

Região oeste da Bahia passa por sérias dificuldades com a Saúde Pública. A intenção dos municípios é criar uma Rede que descentralize a aplicação dos Recursos Federais.

O presidente da entidade, Humberto Santa Cruz, acredita que a rede auxiliará os municípios menores a oferecer serviços de saúde pública com mais dignidade.

O presidente da entidade, Humberto Santa Cruz, acredita que a rede auxiliará os municípios menores a oferecer serviços de saúde pública com mais dignidade.

Os municípios da região oeste possuem uma queixa unânime em relação à situação da saúde nos municípios. Em busca de uma alternativa para os problemas recorrentes vividos na região, na última reunião do ano da entidade, na quarta-feira, 11, foi debatida a formalização de uma Proposta Preliminar para criação de uma Rede que descentralize as Atividades de Média Complexidade, no no âmbito Hospitalar e Ambulatorial.

A intenção da Umob é articular estratégias para que a partir de 2014, as prefeituras consigam receber recursos para investimentos em serviços de saúde. A rede funcionará através de territórios com o engajamento de todos municípios que integram a entidade.

A proposta prevê, inicialmente a oferta de 884 leitos, divididos em Unidades Físicas com a intenção de descentralizar a renda que o oeste recebe, para que os pequenos municípios tenham acesso a recursos e consigam atender a população que necessita de determinados atendimentos. A Rede Descentralizada de Média Complexidade será dividida em módulos e receberão de acordo com as atividades que realizarão e com a quantidade de habitante.

Para o prefeito de Angical, Leopoldo de Oliveira, essa maneira de organização em módulos é muito interessante, principalmente para os municípios de menor porte. “Temos que fazer o melhor para os usuários do sistema público de saúde, que são nossos munícipes”, disse.

O presidente da entidade, Humberto Santa Cruz, acredita que a rede auxiliará os municípios menores a oferecer serviços de saúde pública com mais dignidade. “Luís Eduardo Magalhães passa por sérias dificuldades com a saúde, principalmente por falta de médicos e essa Rede contará com Hospitais, Unidades Básicas de Saúde, Samu, Centro de Atendimento Psicossociais (CAPS), Policlinica Especializada e Unidades de Pronto Atendimento (UPA)” explicou.

Toda essa mobilização e tentativa de reorganizar os serviços de saúde no oeste deve, no entanto, ser levado a sérios pelos prefeitos. “Através do Consórcio Intermunicipal de Desenvolvimento Regional dos Municipios do Oeste da Bahia (Conder\Umob), os gestores municipais poderão se fortalecer e construírem projetos de fundamento com ações que beneficiem de forma eficaz o cidadão, construindo assim bases sólidas para o Sistema Único de Saude no oeste”, ratificou Humberto Santa Cruz.

O prefeito de São Desidério, Demir Barbosa, aproveitou para relatar outro problema enfrentando, também pela maioria dos municípios: a falta de profissionalismo e comprometimento de alguns médicos. “Já descobri situações em que médicos que atuavam em meu município solicitavam exames desnecessários para engordar sua folha” relatou descontente o alcaide.

Segurança Pública – Já o prefeito de Cotegipe, Marcelo Mariane pediu que a próxima reunião no dia 23 de janeiro do próximo ano, seja em seu município. “Estou passando por sérios problemas na área de segurança, o estado me abandonou e tenho muita dificuldade em arcar com os custos da Força Policial de Cotegipe. Por mais que custeamos a segurança, a cidade não tem retorno”, desabafou Marcelo.

Humberto Santa Cruz apoiou a ideia de Marcelo Mariane e falou: “será interessante que nesta reunião cada prefeito leve suas dificuldades e montaremos um documento para enviar ao secretário Estadual de Segurança de Pública, Maurício Barbosa”, afirmou o presidente confirmando a próxima reunião para o mês de janeiro.

Também participaram do encontro o articulador da Umob, Sérgio Pitt, o prefeito de Barra, Artur Silva, de Mansidão, Ney Borges, de Formosa do Rio Preto, Jabes Junior, representando o prefeito de Muquém do São Francisco, Márcio Mariano, o Controlador Geral, Cleiton Magalhães e o coordenador do Setor de Tributos de Riachão das Neves, Divinei Langi.

Fonte: Assessoria de Comunicação da União dos Municípios do Oeste da Bahia

Deixe seu comentário

*
*
Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Falabarreiras. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Falabarreiras poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto. É possível digitar até 600 caracteres. Os comentários que estiverem escritos em letras maiúsculas e tiverem links serão rejeitados.