Papai Noel dos Correios entra hoje em sua 24ª edição

Por: Davi Lemos Uma garota de 10 anos pede uma boneca ao Papai Noel e diz que queria que o mundo fosse um paraíso para as crianças. Ela escreve e pede que garotos da idade dela possam sair para brincar em paz, sem a ameaça dos tiroteios. Este foi o teor de uma das nove […]

Em 13/11 de 2013

Por: Davi Lemos

Há seis anos, Jehisa Santos é "intermediária" de cartas enviadas ao "bom velhinho"

Há seis anos, Jehisa Santos é “intermediária” de cartas enviadas ao “bom velhinho”

Uma garota de 10 anos pede uma boneca ao Papai Noel e diz que queria que o mundo fosse um paraíso para as crianças. Ela escreve e pede que garotos da idade dela possam sair para brincar em paz, sem a ameaça dos tiroteios.
Este foi o teor de uma das nove cartas escritas por crianças de Salvador e endereçadas ao Papai Noel, que a médica Jehisa Santos, 41 anos, adotou nos últimos seis anos. A Campanha Papai Noel dos Correios será lançada nesta terça-feira, 12, às 15h, na agência central do órgão, na Pituba.

“Algumas crianças contam a história de vida delas para o Papai Noel e fazem seus pedidos”, diz Jehisa Santos. “Muitos pedem material escolar ou ajuda com alimentos; mas há aqueles que pedem celulares, tablets e computadores”, diz a médica, que hoje também pega cartas para familiares “apadrinharem”.

Família unida
A médica Jehisa Santos diz que ainda esta semana vai buscar as cartas das crianças. Como em anos anteriores, ela quer ir com os parentes comprar juntos os presentes para atender aos pedidos.

Há também casos daqueles que adotaram cartas sem que tivessem programado antes. Foi o que aconteceu com a jornalista Maria Rocha, 37 anos. Ela conta que tinha ido para o lançamento da campanha de quatro anos atrás, para fazer uma matéria para um jornal em que trabalhava na época.

“Li muitas cartas. Muitas delas tinham pedidos de pagamento para contas de água e luz. Havia pedidos de cesta básica. Li e me emocionei”, conta a jornalista. “São pedidos bem diferentes daqueles que estamos acostumados a ouvir”, ressalta.
Segundo a jornalista, as cartas são um retrato fiel da vida destas crianças e suas famílias: “Muitas histórias são de famílias em sérias dificuldades, de crianças criadas apenas pelas mães”.

A analista de sistemas Marli Oliveira, 27 anos, diz que não adotou cartas de crianças, postas nos Correios, mas em instituições nas quais presta serviço.

“Na Santa Casa de Misericórdia, as crianças põem pedidos em uma árvore de Natal e as pessoas adotam”, diz a analista de sistemas. Ela disse que sua primeira experiência de “adoção” de um pedido ao Papai Noel ocorreu com pacientes do Grupo de Apoio à Criança com Câncer (Gacc).

Expectativa é superar as 54 mil cartas do ano passado
O diretor regional dos Correios na Bahia, Carlos Moras Garcia, disse que a empresa espera este ano um aumento no número de cartas depositadas por crianças e também o crescimento do volume de adoções. Este é o 24º ano da campanha.

“Já temos 6,5 mil cartas cadastradas, mas a tendência é superar as 54 mil cartas do ano passado”, aponta Moras Garcia. Ele diz, porém, que ainda há uma grande diferença entre o número de cartas e o de padrinhos. “Em 2012, foram somente 16 mil cartas adotadas”, informou.

O diretor dos Correios pede que os padrinhos não deixem para adotar as cartas na última hora. O período para ir pegar cartas na agência da Pituba vai até o dia 20 de dezembro, cinco dias antes do Natal.

“Mas é bom irem antes, pois assim teremos mais tempo de fazer a entrega dos presentes na data correta”. Garcia informou ainda que a colocação das correspondências será apenas no posto da Pituba, que tem condições melhores para os voluntários, inclusive de estacionamento.

Ação começou nessa terça (12) e segue até o dia 20 de dezembro. (Foto: Eduardo Martins / Ag. A TARDE)

Ação começou nessa terça (12) e segue até o dia 20 de dezembro. (Foto: Eduardo Martins / Ag. A TARDE)

Parceria
Desde 2010, os Correios fazem parceria com escolas e creches, de onde vem a maioria das crianças que escrevem ao Papai Noel.

“Nós queremos que as crianças aprendam a escrever uma carta, a utilizar o selo e o CEP corretos, a endereçar”, diz Moras Garcia. A edição nacional da campanha foi lançada em Belo Horizonte (MG), no dia 5 passado.

Deixe seu comentário

*
*
Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Falabarreiras. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Falabarreiras poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto. É possível digitar até 600 caracteres. Os comentários que estiverem escritos em letras maiúsculas e tiverem links serão rejeitados.