Auxílio Emergencial chega a 50 milhões de pessoas

Governo Federal já investiu R$ 35,5 bilhões no pagamento do benefício de R$ 600

Em 03/05 de 2020

Ascom Ministério da Cidadania | Imagem destaque: Ministro Onyx explica detalhes dos repasses do Auxílio Emergencial | Foto: Ronaldo Caldas/ Ministério da Cidadania

A primeira parcela do Auxílio Emergencial de R$ 600 já está na conta de 50 milhões de brasileiros. O investimento do Governo Federal para pagar esse contingente, que envolve todos os grupos com direito ao benefício, foi de R$ 35,5 bilhões. Ainda nesta quinta-feira (30.04), a estimativa é de que todos os inscritos no aplicativo da Caixa Econômica Federal até 26 de abril terão os dados analisados. Este é o público que integra majoritariamente trabalhadores informais, autônomos, contribuintes individuais do INSS e microempreendedores individuais (MEIs).

Os órgãos públicos concluíram o processamento de mais de 96,98 milhões de CPFs, entre requerentes e outros integrantes das famílias. A composição doméstica influencia no direito e no valor do benefício, que pode ir de R$ 600 a R$ 1.800 por grupo familiar. No entanto, como destacou o ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni, cerca de 32,8 milhões de pessoas ficaram inelegíveis num primeiro instante, mas poderão corrigir as informações no aplicativo da Caixa para que as autoridades possam avaliar com mais clareza a pertinência do benefício.

“Nós temos, por exemplo, CPFs inconclusos, onde o pai registra uma família, a mãe registra a mesma família, e nós não podemos fechar, porque precisamos ter clareza de quem que é o chefe da família para definir os valores de repasses. São pelo menos 13,6 milhões de pessoas que vão precisar entrar nessa nova versão do aplicativo e fazer a revisão do cadastramento. Essa nova atualização já vem com tutorial, facilitando o preenchimento, para que a gente possa encontrar os elegíveis dentro desse público”, detalhou Onyx Lorenzoni.

Após o fechamento dos dados de quem se cadastrou até o dia 26 de abril, o Ministério da Cidadania receberá da Caixa Econômica Federal o detalhamento dos pagamentos da primeira parcela para dar início ao repasse da segunda. “Agora precisamos definir para quem foi, quando foi, para que conta, para que possamos cumprir todas as regras para autorizar o início do pagamento da segunda parcela”, comentou Lorenzoni.

Os números atualizados pela Caixa Econômica Federal no fim da tarde desta quinta-feira apontam que foram realizados 49,7 milhões de cadastros no aplicativo do Auxílio Emergencial, com 546,7 milhões de visitas ao site e 109,2 milhões de ligações na central telefônica 111 para tirar dúvidas. Houve 70,4 milhões de downloads do aplicativo do Auxílio Emergencial e 68,9 milhões do aplicativo Caixa Tem, que dá acesso à Conta Social Digital.

O auxílio emergencial contempla integrantes do Bolsa Família e pessoas inscritas em outros programas que constam do Cadastro Único do Governo Federal, além de microempreendedores individuais, autônomos e contribuintes individuais do INSS que se encaixam nos critérios da lei. Os beneficiários do Bolsa Família elegíveis recebem o crédito no mesmo calendário e na mesma forma do benefício regular.

Saque em espécie

Desde segunda-feira (27.04), os beneficiários que receberam o crédito do Auxílio Emergencial na Poupança Social Digital da Caixa Econômica Federal já têm a possibilidade de saque do benefício em espécie. O saque é realizado nos caixas eletrônicos da Caixa, nas unidades lotéricas e nos correspondentes Caixa Aqui, de forma escalonada, de acordo com o mês de nascimento.

Na data prevista, conforme o calendário abaixo, os cidadãos têm a opção habilitada no aplicativo Caixa Tem, para geração de um código autorizador de saque.

Confira o calendário:

• 27 de abril – nascidos em janeiro e fevereiro
• 28 de abril – nascidos em março e abril
• 29 de abril – nascidos em maio e junho
• 30 de abril – nascidos julho e agosto
• 04 de maio – nascidos em setembro e outubro
• 05 de maio – nascidos em novembro e dezembro

Deixe seu comentário

*
*
Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Falabarreiras. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Falabarreiras poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto. É possível digitar até 600 caracteres. Os comentários que estiverem escritos em letras maiúsculas e tiverem links serão rejeitados.