A nova fase do artista plástico Ataliba Campos Lima

Artista, poeta, contestador, inquieto, guru, amigo… Esses são apenas alguns requisitos do barreirense Ataliba Campos Lima, 72, que durante toda sua existência passou por altos e baixos. Baixos, por que perdeu anos preciosos anos de sua vida, entregues a bebida e ao fumo. Vícios adquiridos pela sua enorme sensibilidade e capacidade de amar e também […]

Em 26/09 de 2013

Artista, poeta, contestador, inquieto, guru, amigo… Esses são apenas alguns requisitos do barreirense Ataliba Campos Lima, 72, que durante toda sua existência passou por altos e baixos. Baixos, por que perdeu anos preciosos anos de sua vida, entregues a bebida e ao fumo. Vícios adquiridos pela sua enorme sensibilidade e capacidade de amar e também pela revolta do cerceamento das liberdades impostos pelo golpe militar de 64. Altos, por que soube dar a volta por cima, abandonando os vícios que tanto o maltrataram.

Hoje, Ataliba sabe que precisa deixar outro legado aos jovens e que ainda há tempo de ajudar a construir uma sociedade melhor – como ele tanto gosta de narrar nos versos de suas poesias -, um mundo com ‘Justiça Social’ e através de suas telas desenhadas a partir da técnica do bico de pena.

Atualmente Ataliba tem migrado para outro lado das artes plásticas onde, através de imagens inquietantes e frases de efeitos procura fazer com que as pessoas, em especial os jovens, possam fazer uma reflexão sobre seus atos.

Como o próprio artista define, suas obras são uma galeria a céu aberto tendo como foco central a prevenção às drogas, com enfoque principal no combate do uso do crack, uma droga violenta que vem dizimando as famílias, sem respeitar os limites das classes sociais.

Ataliba questiona a falta de apoio do poder público. “Tem tantos muros de escolas municipais que poderiam receber essas mensagens, fazendo um alerta direto aos nossos alunos”, disse o artista plástico exemplificando que até mesmo nos tapumes de obras da prefeitura poderiam servir de pano de fundo para suas artes. “O importante que essas mensagens possam estar nas ruas, a vistas das pessoas”.

Ele continua, e afirma que está totalmente à dispor das diretoras das escolas para promover palestras nas escolas, onde ele poderá recitar suas poesias e alertar os jovens do perigo do primeiro contato com as drogas. “O crack se tornou um problema de saúde, que precisa de uma ação direta de nossos governantes”, concluiu Ataliba.

Os interessados em conhecer as obras do artista plástico podem ir até seu atelier, localizado nos fundos do Colégio Estadual de Barreirinhas, no bairro Barreirinhas, em Barreiras. Para agendar palestras nas escolas, ligar para (77) 8119-1984.

Fonte: Jornal Nova Fronteira

1 comentário

bosta
Comentou em 01/09/16

bosta amei obrigado ajudou

EM NADA

Deixe seu comentário

*
*
Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Falabarreiras. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Falabarreiras poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto. É possível digitar até 600 caracteres. Os comentários que estiverem escritos em letras maiúsculas e tiverem links serão rejeitados.