Em coletiva, Antônio Henrique diz que esgotamento não sai por irresponsabilidade da Câmara de Barreiras

Texto e foto: Silvânia Costa Coletiva esclarece andamento dos serviços do Esgotamento Sanitário de Barreiras Marcado pela Embasa e a prefeitura de Barreiras, o encontro entre o presidente da Empresa Baiana de Água e Saneamento Básico, Abelardo de Oliveira Filho, o prefeito Antonio Henrique e o vice Paê Barbosa, e a imprensa, foi para falar […]

Em 18/10 de 2013

Texto e foto: Silvânia Costa

Coletiva esclarece andamento dos serviços do Esgotamento Sanitário de Barreiras

Prefeito de Barreiras acusa o presidente da Câmara Municipal de politicagem e de prejudicar a população barreirense

Prefeito de Barreiras acusa o presidente da Câmara Municipal de politicagem e de prejudicar a população barreirense

Marcado pela Embasa e a prefeitura de Barreiras, o encontro entre o presidente da Empresa Baiana de Água e Saneamento Básico, Abelardo de Oliveira Filho, o prefeito Antonio Henrique e o vice Paê Barbosa, e a imprensa, foi para falar sobre a obra do sistema de esgotamento sanitário da cidade. O andamento do serviço tem sido motivo de muita discussão por parte da Embasa, poderes executivo e legislativo. O projeto de lei aprovado pela Câmara de Vereadores, extinguindo a cobrança da tarifa sobre a prestação do serviço de esgotamento causou impacto no prosseguimento dos trabalhos.

A polêmica gira em torno dos financiadores do projeto, a cobrança da tarifa é o principal meio de garantia para o pagamento do dinheiro destinado à execução da obra. Sem contribuição não há como convencer os agentes, foi o que o presidente Abelardo Oliveira Filho deixou claro durante a coletiva. De acordo com Abelardo, noventa por cento da obra já foram concluídos. Foram feitos duzentos e cinquenta e sete quilômetros de rede coletora e a estação que mudou de lugar para beneficiar outras localidades está bem adiantada. Por causa da mudança no projeto, os $ 78 milhões de reais não foram suficientes para concluir a primeira etapa. Desse total restam somente $ 9 milhões de reais. Mas um empréstimo, segundo ele, de $ 21 milhões de reais já está assegurado para terminar o sistema de esgotamento sanitário, só que a liberação depende do fim do impasse sobre a cobrança da tarifa.

O município de Barreiras está disposto a seguir adiante na tentativa de anular a votação da Câmara de vereadores, pois alega que a mesma não tem competência para tal, e por isso entrou com uma Ação Direta de Inconstitucionalidade no Tribunal de Justiça da Bahia. Mas aqui em Barreiras já conseguiu liminar a favor de um pedido feito pelo prefeito Antonio Henrique para que o projeto de Lei 092/2013 que extingue a cobrança da tarifa deixe de tramitar na Câmara Municipal de Barreiras, quanto à discussão e votação em plenário, até o julgamento definitivo. “O que está acontecendo é politicagem. A população é quem está sendo prejudicada. Considero isso uma irresponsabilidade da Câmara. Se tudo der errado, o município vai ter que pagar os setenta e oito milhões destinados à obra, sem contar com os prejuízos para a área da saúde que podemos ter. Mas vamos insistir”, disse o prefeito Antonio Henrique.

Deixe seu comentário

*
*
Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Falabarreiras. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Falabarreiras poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto. É possível digitar até 600 caracteres. Os comentários que estiverem escritos em letras maiúsculas e tiverem links serão rejeitados.