Bahia Pesca e Codevasf assinam termo para operacionalização da Unidade de Beneficiamento de Pescado de Barreiras

A Unidade de Beneficiamento de Pescado (UBP) de Barreiras pode entrar em operação. Dando seguimento ao projeto de desenvolvimento da piscicultura e aquicultura no Oeste, a Bahia Pesca e a Codevasf já assinaram Termo de Cessão para iniciar as atividades no local. O equipamento funcionará com a interveniência da Cooperativa Mista dos Agricultores Familiares (Coomaf), […]

Em 07/01 de 2014

hugoA Unidade de Beneficiamento de Pescado (UBP) de Barreiras pode entrar em operação. Dando seguimento ao projeto de desenvolvimento da piscicultura e aquicultura no Oeste, a Bahia Pesca e a Codevasf já assinaram Termo de Cessão para iniciar as atividades no local. O equipamento funcionará com a interveniência da Cooperativa Mista dos Agricultores Familiares (Coomaf), visando oferecer suporte à atividade e sustentabilidade aos recursos pesqueiros locais e regionais, uma vez que a UBP integra a cadeia produtiva da pesca no Vale do São Francisco.

O Oeste baiano é o maior produtor de peixes em viveiro escavado da Bahia e o segundo maior polo de piscicultura do Estado. Além disso, as 15 associações de pequenos produtores na região, garantem uma oferta de pescado na ordem de 1.231 toneladas. Estudos da Codevasf informam que a capacidade de produção da Unidade é de 2.600 kg/dia para processamento de peixe eviscerado fresco, 1.500 kg/dia para peixe congelado e outros 1.500 kg/dia de filé congelado. O local está completamente estruturado, contendo galpão de beneficiamento para piscicultura, setor administrativo, áreas de circulação, sistemas elétrico, de abastecimento e tratamento de água, além de depuração de matéria-prima e tratamento de efluentes.

“A aquicultura no Oeste da Bahia precisa de ações estruturantes, programadas de forma estratégica para fortalecer o polo na região”, enfatiza o Presidente da Bahia Pesca, Cássio Peixoto. “Nosso objetivo é estimular o crescimento de toda a cadeia produtiva, desde a produção eficiente do alevino até os arranjos voltados para a comercialização e escoamento da produção”, acrescenta Peixoto lembrando que, além de promover geração e adaptação de tecnologia em aquicultura, a operacionalização da UBP, localizada no povoado de Baraúna, vai beneficiar 1.000 produtores familiares na região que já produz 12,53 % das 17 mil toneladas da aquicultura continental e é responsável por cerca 16,47 % da produção de pescado do Estado, atingindo a marca de 2.131 toneladas de pescado em 2012. “E essa produção, seguramente, pode ser aumentada, com a garantia da dinamização do processo produtivo”, avalia o presidente da Bahia Pesca.

Com a dinamização da atividade a Seagri/Bahia Pesca e a Codevasf, esperam mudar o perfil produtivo do Oeste em apenas dois anos. “Dessa forma, vamos subsidiar a produção de base familiar, impulsionar o processo produtivo com a implantação de estruturas físicas eficazes e suprir as demandas de alevinos e juvenis”, enfatiza o Secretário da Agricultura, Eduardo Salles, explicando que todas as ações visam garantir a qualidade do produto beneficiado e desenvolver pesquisa aplicada à cadeia produtiva da aquicultura continental.

Fonte: Ascom Bahia Pesca

Deixe seu comentário

*
*
Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Falabarreiras. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Falabarreiras poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto. É possível digitar até 600 caracteres. Os comentários que estiverem escritos em letras maiúsculas e tiverem links serão rejeitados.