Agricultores e Senar abrem trabalhos do Programa Jovem Aprendiz Rural em Barreiras

Hebert Regis | Nádia Borges | Araticum O Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar) e os agricultores do oeste da Bahia abriram nesta quarta-feira, 20, os trabalhos da segunda turma do curso do Programa Jovem Aprendiz na Propriedade Rural, que tem o objetivo de capacitar jovens entre 18 e 24 anos para atuarem em propriedades […]

Em 22/08 de 2014

Hebert Regis | Nádia Borges | Araticum

Abertura das aulas do curso jovem aprendiz Senar

Abertura das aulas do curso jovem aprendiz Senar

O Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar) e os agricultores do oeste da Bahia abriram nesta quarta-feira, 20, os trabalhos da segunda turma do curso do Programa Jovem Aprendiz na Propriedade Rural, que tem o objetivo de capacitar jovens entre 18 e 24 anos para atuarem em propriedades rurais na região. No primeiro de dia, se apresentaram 52 estudantes do Centro Territorial de Educação Profissional (Cetep), que vão se dividir em turmas específicas para o cultivo de algodão e grãos. Eles receberam, na oportunidade, kits com livro didático, bloco, camisa, boné e caneta.

Os jovens foram contratados, com as carteiras de trabalho registradas, por 34 empresas da região, em parceria com o Ministério Público do Trabalho e as associações de classe como Associação dos Agricultores e Irrigantes da Bahia (Aiba), Federação da Agricultura da Bahia (Faeb) e Sindicato dos Produtores Rurais de Barreiras. As empresas estão cumprindo a legislação trabalhista que determina que empresas de médio e grande porte devem contratar o número de aprendizes equivalente a um mínimo de 5% e máximo de 15% do seu quadro de funcionários.

A estudante Kailla Dantas, 18, é uma dos quatro jovens aprendizes contratados pelo Grupo Mizote. Ela agradece a oportunidade e está ansiosa pelo início do curso. “Como já faço o curso de técnico em agropecuária do Cetep, tenho vontade de trabalhar a parte mais prática”, diz ela, que pensa em seguir carreira de agrônoma ou veterinária. Ela, juntamente com os outros inscritos no Programa precisam completar, dentre módulos teóricos e práticos, a carga horária de 800 horas/aula, com certificado emitido pelo Senar ao final do curso.

Dentre os apoiadores do projeto e da Fazenda Escola, destaque para o produtor rural Paulo Mizote, apontado como tutor do Programa Jovem Aprendiz na Bahia. Como um dos líderes do projeto, o produtor incentiva o envolvimento dos produtores rurais associados da Aiba para que apoiem o projeto e registrem a carteira de trabalho dentro do Programa Jovem Aprendiz Rural. “Diante do alto nível tecnológico no campo, precisamos cada vez mais de mão de obra qualificada. Apoiar o futuro profissional destes jovens é incentivar o crescimento do agronegócio em nossa região”, destaca.

Fazenda Escola – Diante da dificuldade de deslocamento dos alunos para as fazendas, agricultores como Paulo Mizote vêm investindo na estruturação de uma fazenda modelo de sete hectares, localizada no projeto da Codevasf – Barreiras Norte, onde as atividades práticas serão desenvolvidas em ambiente controlado permitindo a capacitação da cultura de algodão, soja e milho. O objetivo, segundo ele, é que a Fazenda Escola funcione como um centro experimental e campo de estágio. “Seria inviável a capacitação prática dos jovens aprendizes acontecesse sem a Fazenda Escola”. Foram investidos, com recursos do Fundeagro (Fundo para o Desenvolvimento do Agronegócio do Algodão), R$ 390 mil na estrutura física, e mais R$ 60 mil na implantação de um laboratório de entomologia (insetos).

Entrega dos kits programa jovem aprendiz rural senar / Integrantes do Programa Jovem Aprendiz na abertura do projeto

Entrega dos kits programa jovem aprendiz rural senar / Integrantes do Programa Jovem Aprendiz na abertura do projeto

Grupo de estudantes do programa jovem aprendiz rural

Grupo de estudantes do programa jovem aprendiz rural

Deixe seu comentário

*
*
Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Falabarreiras. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Falabarreiras poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto. É possível digitar até 600 caracteres. Os comentários que estiverem escritos em letras maiúsculas e tiverem links serão rejeitados.