19/abril/2014- Atualizado em 19/04/2014 11:05:45

Eliana Calmon orienta e deputado pede fim do aquartelamento

A Tarde

Eliana Calmon orientou fim do aquartelamento | Foto: Iracema Chequer | Ag. A TARDE

Eliana Calmon orientou fim do aquartelamento | Foto: Iracema Chequer | Ag. A TARDE

O possível retorno à greve da Polícia Militar do Estado da Bahia (PMBA) parece ter chegado ao fim na madrugada deste sábado, 19, após uma reunião entre representantes das associações de classe e a ex-ministra do Superior Tribunal de Justiça, Eliana Calmon.

Durante o encontro, a ex-ministra e pré-candidata ao Senado pelo PSB na Bahia orientou os policiais a encerrarem o aquartelamento e retornarem às atividades.

Em carta direcionada ao Capitão Tadeu, que passou a liderar o movimento grevista após a prisão de Prisco, Eliana esclareceu que a situação só poderia ser resolvida no âmbito da Justiça Federal.

“Assim, Capitão, a melhor solução para o problema, não está no aquartelamento das forças policiais, porque não decorreu a prisão do descumprimento pelo Governador do acordo anteriormente assinado. Aliás, não poderia ele acordar sobre os processos em andamento na Justiça”, escreveu ela.

A recomendação foi seguida pelo deputado estadual Capitão Tadeu, que repassou as orientações aos policiais. “Esclareço primeiro que, quando alertei o aquartelamento, foi em função de uma comoção da corporação, o clima de revolta era muito grande. Era a coisa mais sensata naquele momento”, disse ele.

Em relação aos policiais de Feira de Santana, o deputado afirmou que “continuam aquartelados, mas não é uma decisão das associações. Não podemos mandar nesses policiais”.

á o major Marciel, do departamento de comunicação do Comando Geral da PM, enfatizou que o policiamento já voltou à normalidade. “O próprio líder Capitão Tadeu já recuou e a segurança foi normalizada gradativamente”.

Carta enviada pela ex-ministra Eliana Calmon ao Cap. Tadeu

Salvador, BA, 18 de abril de 2014

Capitão Tadeu,

Atendendo à solicitação de Vossa Excelência sobre a origem da prisão de Marco Prisco, informo que após consultar o Presidente do Tribunal Regional da 1ª Região, Desembargador Mário César Ribeiro, o Desembargador Almilcar Machado, plantonista do mesmo Tribunal e finalmente, o Procurador Geral da República, Dr. Rodrigo Janot, verifiquei que a prisão do Vereador indicado decorreu da Prisão Preventiva decretada pelo Juiz Federal condutor da ação penal a que responde o edil, em deferimento, a pedido formulado pelo Ministério Público Federal do Estado da Bahia, diante das provas entregues ao Magistrado comprovando o envolvimento do acusado em novas manifestações da greve da Polícia Militar da Bahia, deflagrada no último dia 15 do corrente mês e ano. Assim nada há de novo no fato ensejador da Prisão Preventiva senão a determinação de custódia de um réu em processo antecedente, sem qualquer envolvimento político ou intervenção do Governo ou outra autoridade qualquer da Bahia.

Quero esclarecer a Vossa Excelência que a situação de Marco Prisco só pode ser solucionada no âmbito da Justiça Federal, mediante Habeas Corpus examinado pelo Tribunal Regional Federal da 1ª Região.

Solidariedade ou parceria no sentido de haver um reposicionamento da Justiça inexiste e a retomada de greve por parte da Polícia Militar é absolutamente impertinente neste momento porque esse acontecimento impedirá o exame de um possível Habeas Corpus, podendo ocasionar a prisão de líderes do movimento, agravando a solução do problema.

Assim, Capitão, a melhor solução para o problema, não está no aquartelamento das forças policiais, porque não decorreu a prisão do descumprimento pelo Governador do acordo anteriormente assinado. Aliás, não poderia ele acordar sobre os processos em andamento na Justiça.

Atenciosamente,

Eliana Calmon

Veja também:
Advogado de Prisco dá entrada ao habeas corpus em Brasília

Marco Prisco vai cumprir mandado de prisão preventiva por 90 dias

Comandante da PM orienta a tropa a manter os seus postos

Marco Prisco, líder do movimento, é preso na tarde de sexta-feira a pedido do MPF/BA

Diálogo para implantar Plano de Modernização da Polícia Militar será retomado

Após acordo, policiais militares decidem encerrar a greve na Bahia

Justiça determina fim da greve da PM sob pena de multa diária de mais de R$1 milhão

Proposta das associações de policiais militares está fora da capacidade orçamentária do Estado

FASB suspende temporariamente aulas devido a greve da PM

Tropas federais desembarcam em Salvador para reforçar a segurança

Governador diz que decisão unilateral de greve levou à solicitação de tropas federais

SINDSEMB apoia luta dos Policiais Militares da Bahia

Homens das forças armadas reforçam a segurança pública na Bahia

Tribunal de Justiça decreta ilegalidade da greve dos policiais na Bahia a pedido do MP

Comunicado oficial da CDL para o comércio em relação à greve da PM

Presidente Dilma assina decreto de Garantia da Lei e da Ordem para a Bahia

Governo solicita tropas federais para garantir a segurança da população

Policiais militares decretam greve por tempo indeterminado na Bahia

Governo e associações mantêm diálogo sobre plano de reestruturação da PM

Tags:

O conteúdo de cada comentário é de exclusiva responsabilidade do autor e mensagens ofensivas não serão postadas.

0 Comentários

Deixe o seu comentário!