Renda Brasil Cancelado: Bolsonaro desiste da criação de novo programa social

O Renda Brasil deveria substituir o Bolsa Família e oferecer um valor maior de auxílio às populações carentes

Em 15/09 de 2020

Nesta terça-feira (15), o Presidente Jair Bolsonaro anunciou no Facebook que está proibido falar em Renda Brasil e que programa Bolsa Família continuará funcionando. Sua declaração enterra de vez as discussões sobre o lançamento do novo programa, que já havia sido adiado em função da falta de definição orçamentária para o seu financiamento.

As discussões sobre a criação de um programa de assistência social que marcaria o governo de Jair Bolsonaro ocorrem desde o início do seu mandato. Porém, foi somente depois da criação do auxílio emergencial que a discussão foi retomada com vigor. A ideia era aproveitar a experiência obtida com esse auxílio emergencial para aplicar no desenvolvimento do Renda Brasil, que deveria ser uma marca da atual gestão.

Além disso, o Renda Brasil atenderia um número maior de pessoas, uma vez que disponibilizaria um auxílio tanto para os atuais beneficiários do Bolsa Família, quanto para mais 8 milhões de pessoas em situação de vulnerabilidade. O valor mensal pago para cada beneficiário também seria maior – entre R$ 200 e R$ 300 – valor que deveria começar a ser pago logo após o término do pagamento das parcelas do auxílio emergencial.

Por que o Renda Brasil foi cancelado?

O Renda Brasil nem foi lançado e já havia gerado muita discussão. O problema é que a manutenção anual desse novo programa estava estimada em cerca de R$ 50 bilhões, o que gerou uma grande discussão acerca de qual seria a fonte orçamentária para o financiamento dessa nova despesa governamental. Pensando nisso, a equipe econômica estava estudando a possibilidade de alguns cortes bem polêmicos.

A princípio, havia sido cogitada a possibilidade da extinção de alguns programas sociais, como o Abono Salarial, a Farmácia Popular, o Salário-Família e o Seguro Defeso.

Além disso, nessa segunda-feira (14), o secretário especial de Fazenda do Ministério da Economia, Waldery Rodrigues, declarou que a equipe econômica também estava estudando o congelamento do reajuste de benefícios previdenciários por 2 anos, bem como a redução do seguro desemprego, como medidas para liberar o orçamento necessário para subsidiar o Renda Brasil.

Porém, Bolsonaro declarou que daria um “cartão vermelho” aos funcionários de dentro do governo que lhe apresentassem propostas para congelar ou reduzir benefícios.

“Congelar aposentadorias, cortar auxílio para idosos e pobres com deficiência, um devaneio de alguém que está desconectado com a realidade” disse Jair Bolsonaro em rede social.

Para finalizar a discussão, Bolsonaro também declarou que “até o fim de 2022 está proibido falar a palavra Renda Brasil. Vamos continuar com o Bolsa Família e ponto final.”

Deixe seu comentário

*
*
Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Falabarreiras. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Falabarreiras poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto. É possível digitar até 600 caracteres. Os comentários que estiverem escritos em letras maiúsculas e tiverem links serão rejeitados.