05/junho/2014- Atualizado em 05/06/2014 12:44:46

Bahia mantém adesão ao Sistema Brasileiro de Inspeção

Josalto Alves | Ascom Adab

01

Após auditoria realizada por fiscais federais do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), a Bahia mantém a permanência no Sistema Brasileiro de Inspeção de Produtos de Origem Animal (SISBI), sendo um dos primeiros Estados a aderir em 2010, juntamente com Minas Gerais e Paraná. A equipe de auditores constatou a eficiência na atividade de fiscalização desempenhada pela Agência de Defesa Agropecuária da Bahia (Adab), vinculada à Secretaria Estadual da Agricultura (Seagri), ao buscar padronizar as ações e fortalecer o SISBI, estruturando-o para que o estado possua uma maior adesão de indústrias com certificação estadual (SIE), com equivalência federal (SIF).

O diretor de Inspeção de Produtos de Origem Agropecuária da Adab, Adriano Bouzas, explica que a Bahia possui o Serviço de Inspeção Estadual (SIE), que inspeciona e credencia estabelecimentos que industrializam produtos de origem animal. Entretanto, estas indústrias não podem comercializar para outros estados, pois o comércio só é permitido quando o estabelecimento possui a inspeção federal (SIF). Para atender a esta necessidade, o governo federal criou o SISBI, permitindo a equivalência do serviço de inspeção estadual ao federal. Assim, os estabelecimentos que aderirem ao Sistema ganham a condição de poder vender seus produtos para outros estados.

O SISBI/POA inspeciona e credencia estabelecimentos que industrializam produtos de origem animal e é parte integrante do SUASA (Sistema Unificado de Atenção Agropecuária), criado pela Lei 8.171/1991, atualizada pela Lei 9.712/1998 e regulamentada através do Decreto 5.741/2006. O Mapa, por intermédio do Serviço de Inspeção Federal (SIF), é o órgão coordenador deste Sistema.

“O SISBI é de extrema importância, além de ser um incentivo para a Bahia, pois possibilita o crescimento da economia, ampliando o comércio interestadual de produtos de origem animal nas diversas escalas de produção”, finalizou o diretor geral da Adab, Paulo Emílio Torres.

Tags:

O conteúdo de cada comentário é de exclusiva responsabilidade do autor e mensagens ofensivas não serão postadas.

0 Comentários

Deixe o seu comentário!