06/outubro/2014- Atualizado em 06/10/2014 12:11:24

Aiba e universidades do Oeste da Bahia firmam parceria para monitorar doenças e pragas em lavouras irrigadas de soja

Rassana Milcent | Ascom Aiba

01O plantio antecipado da soja irrigada, na Bahia, teve início no dia 01 de outubro, em 25 mil hectares cadastrados na Agência Estadual de Defesa Agropecuária da Bahia (Adab). Para monitorar a incidência de pragas nesta área, a Associação de Agricultores e Irrigantes da Bahia (Aiba) firmou parceria com a Universidade do Estado da Bahia (Uneb), com a Faculdade São Francisco de Barreiras (Fasb)  e com a Faculdade Arnaldo Horácio Ferreira (Faahf) para oferecer estágio a alunos do último ano do curso de Agronomia.

Segundo o assessor de Agronegócios da Aiba, Luiz Stahlke, a antecipação do plantio da soja foi solicitada à Adab para que as áreas irrigadas funcionem como grandes laboratórios a céu aberto. “Denominamos estes espaços de ‘áreas iscas’ onde poderemos fazer testes e pesquisas que nos ajudarão no combate as pragas e doenças que atingem as lavouras de soja, milho e algodão”, disse Stahlke.

Com base nisso, a Aiba desenvolveu o projeto de oferta de estágio voltado para o monitoramento da Ferrugem Asiática, Helicoverpa armígera e da Mosca Branca. O objetivo é conhecer o nível de infestação e incidência destas pragas e doenças nas lavouras de soja irrigada do Oeste da Bahia. Com os dados em mãos, será possível definir, em tempo hábil, a melhor alternativa de manejo que o produtor poderá utilizar.

De acordo com o projeto, serão contratados 12 alunos das três faculdades pelo período de cinco meses. A Associação Baiana dos Produtores de Algodão (Abapa) será parceira, oferecendo a logística de deslocamento dos monitores; a Adab ministrará o treinamento para identificação da Ferrugem Asiática e o Agrônomo e coordenador de campo do projeto, professor Jorge Silva, vai orientar sobre como identificar a Helicoverpa armígera e a Mosca Branca.

“Além de promover uma ação de integração entre as instituições de classe, universidades e produtores, estaremos oportunizando aos estudantes conhecimentos práticos de manejo agrícola e, por consequência, melhor qualificação profissional”, explicou Ernani Sabai, diretor de Agronegócios da Aiba.

Capacitação
O período de estágio será iniciado, no dia 07 de outubro, quando os estudantes receberão instruções de uso do GPS e sobre a coleta de dados, além de serem capacitados para identificar pragas e doenças. O curso será realizado no auditório da Abapa, em Barreiras, das 8 às 12h.

Já no dia 08, os universitários seguirão para o campo, onde serão acompanhados pelo coordenador do curso, professor Jorge Silva, e pelos agrônomos das fazendas. Será a oportunidade de colocar em prática tudo o que foi aprendido.

Para Jorge Silva, que também é mestre em Fitopatologia, a parceria entre produtores e universidades será positiva para todos os envolvidos. “A universidade se aproxima da sociedade e o aluno ganha horas de estágio supervisionado, além de ter um contato direto com a pesquisa. Essa parceria vai fomentar a produção científica no meio acadêmico”, explicou o professor.

Tags:

O conteúdo de cada comentário é de exclusiva responsabilidade do autor e mensagens ofensivas não serão postadas.

0 Comentários

Deixe o seu comentário!