Zona de Proteção vacina apenas o rebanho de até 24 meses contra a Febre Aftosa

O Ministério da Agricultura (Mapa) atende pleito da Secretaria da Agricultura (Seagri), através da Agência Estadual de Defesa Agropecuária (Adab), e a Zona de Proteção passa a vacinar apenas o rebanho de até 24 meses, contra a febre aftosa. A medida visa aplicar a mesma estratégia de vacinação em toda Bahia, igualando os municípios de […]

Em 23/10 de 2013

01-testeO Ministério da Agricultura (Mapa) atende pleito da Secretaria da Agricultura (Seagri), através da Agência Estadual de Defesa Agropecuária (Adab), e a Zona de Proteção passa a vacinar apenas o rebanho de até 24 meses, contra a febre aftosa. A medida visa aplicar a mesma estratégia de vacinação em toda Bahia, igualando os municípios de Casa Nova, Remanso, Pilão Arcado, Campo Alegre de Lourdes, Mansidão, Formosa do Rio Preto, Santa Rita de Cássia e Buritirama ao restante do Estado. Ou seja, nesta etapa, todos criadores devem vacinar os bovinos e bubalinos de até 24 meses, no período de 1º a 31 de novembro, e declarar todo o rebanho.

A redução da faixa etária vacinal nesta etapa de vacinação de novembro já beneficia aproximadamente 265 mil pecuaristas em 409 municípios baianos. A Zona de Proteção vai agregar a estes números mais 10 mil criadores, com um rebanho de 330 mil cabeças. Dentre as medidas desenvolvidas para respaldar a decisão do Mapa, a Adab vai manter a atenção veterinária, principalmente do trânsito de animais e de educação sanitária, visando propiciar maior segurança aos serviços oferecidos ao produtor.

“Atendemos ao pleito dos criadores da Zona de Proteção que sempre apóiam as ações da Seagri/Adab e são nossos parceiros nas campanhas de vacinação”, disse o Secretário da Agricultura, Eduardo Salles, destacando o empenho destes criadores para mais esta conquista e dos profissionais da Adab que cumpriram uma série de ações voltadas para as atividades de defesa sanitária animal, como a identificação individual do rebanho bovino das propriedades localizadas na divisa com o Estado do Piauí, a intensificação da fiscalização do trânsito de animais e a utilização da Guia de Trânsito Animal (GTA).

Segundo o diretor-geral da Adab, Paulo Emílio Torres, as atividades para garantir a sanidade do rebanho baiano vêm sendo consolidadas a cada ano pelo governo do estado e pelos criadores que já entendem a defesa agropecuária como uma política pública. “Por isso as nossas atividades, aliadas ao processo de modernização da pecuária, estão dando resultados positivos e superando os desafios do setor”, esclarece Torres, ressaltando que a decisão foi justa, diante do recente reconhecimento nacional dos Estados que fazem divisa com a Bahia para livre de febre aftosa com vacinação, antes de risco médio.

O coordenador do Programa Nacional de Erradicação e Prevenção da Febre Aftosa na Bahia – PNEFA, Antônio Maia, salienta que o planejamento da defesa agropecuária baiana está alinhado com as diretrizes do Ministério da Agricultura, dentro do Programa Nacional, que tem o objetivo estrutural dos serviços de defesa agropecuária, erradicar a febre aftosa em todo o Brasil e buscar o status internacional de Livre da Febre Aftosa sem Vacinação.

“Lembro que os pecuaristas deverão obrigatoriamente comparecer nas unidades da Adab para declarar a vacinação e o rebanho existente por sexo e faixa etária no prazo de até 15 dias após sua aplicação”, finaliza o diretor de Defesa Animal da Adab, Rui Leal, lembrando que a dose da vacina é de 5 ml para todas as faixas etárias, inclusive os bezerros recém nascidos.

Fonte: Ascom Seagri/Adab

Deixe seu comentário

*
*
Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Falabarreiras. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Falabarreiras poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto. É possível digitar até 600 caracteres. Os comentários que estiverem escritos em letras maiúsculas e tiverem links serão rejeitados.