Projeto da Abapa transforma cenário da cotonicultura no cerrado baiano

A partir de testes para identificar adaptabilidade das variedades às condições climáticas da região Oeste da Bahia, produtores diminuíram de 32 para 6 cultivares em área plantada com algodão

Em 25/07 de 2019

Imagem destaque reprodução Sistema Faeb

A Bahia se destaca no cenário nacional como o segundo maior produtor de algodão, ocupando uma área de 263,6 mil hectares (safra 2017/2018). Grande parte dessa produção está localizada no Oeste Baiano, cuja região reúne condições privilegiadas para produzir algodão com alto padrão de qualidade. Diante de uma situação que pedia uma estratégia melhor definida para o plantio do algodão, identificando as variedades que se adaptassem melhor às condições climáticas do cerrado baiano e, consequentemente, propiciassem a produção de um algodão de alto padrão de qualidade, a Associação Baiana dos Produtores de Algodão (Abapa) desenvolveu testes com essa finalidade.

O trabalho, fruto de um projeto em parceria com o IBA, teve início na safra 2014/2015 e contou também com a parceria da Fundação Bahia, que possui uma equipe qualificada para a realização de testes de validação de cultivares, além de dispor de uma estrutura adequada para condução de experimentos no campo. Passadas quatro safras desde o início das atividades, os resultados não poderiam ser mais satisfatórios. Enquanto na safra 2014/2015 havia 32 cultivares em cerca de 80% da área plantada com algodão, na safra 2017/2018, a mesma área é ocupada com somente 6 variedades (gráfico abaixo).

Essa adequação elevou a qualidade do algodão baiano, com melhoria significativa de padronização da qualidade da fibra e, ao produtor, a obtenção de condições mais favoráveis para negociação da pluma nos mercados interno e externo.

Deixe seu comentário

*
*
Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Falabarreiras. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Falabarreiras poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto. É possível digitar até 600 caracteres. Os comentários que estiverem escritos em letras maiúsculas e tiverem links serão rejeitados.