Governo quer desenvolvimento econômico da pesca e aquicultura

Josalto Alves | Ascom Seagri Colocar em prática um plano de desenvolvimento na área de pesca e aquicultura no estado é meta do governo baiano, através da Secretaria da Agricultura/Bahia Pesca, assegurando melhor aproveitamento dos recursos naturais e melhoria da renda e qualidade de vida de milhares de pescadores, marisqueiras e aquicultores da Bahia. Este […]

Em 03/03 de 2015

Josalto Alves | Ascom Seagri

01Colocar em prática um plano de desenvolvimento na área de pesca e aquicultura no estado é meta do governo baiano, através da Secretaria da Agricultura/Bahia Pesca, assegurando melhor aproveitamento dos recursos naturais e melhoria da renda e qualidade de vida de milhares de pescadores, marisqueiras e aquicultores da Bahia. Este foi o principal tema da reunião do Conselho da Bahia Pesca, realizada nesta segunda-feira, presidido pelo secretário da Agricultura, Paulo Câmera, com a participação dos secretários Eugênio Spengler, do Meio Ambiente, e de Olívia Santana, de Políticas para as Mulheres, dentre outros conselheiros. “Nosso papel é de indutores do desenvolvimento”, afirmou Câmera.

A Bahia tem o maior litoral do País, com 1.200 km de costa. A pesca e a aquicultura despontam como matriz produtiva de grande importância social e econômica para o Estado, que hoje ocupa a quinta posição no ranking nacional da produção de pescado, com 115 mil toneladas de pescado/ano, destacando-se como pioneiro na produção de tilápia em tanque-rede.

O plano de desenvolvimento deverá contemplar a pesca oceânica e a possibilidade de aproveitamento dos açudes e barragens do Estado para a produção de peixes. Entre outras ações a serem desenvolvidas estão os projetos de produção aquícola em áreas do semiárido; criação de parques aquícolas; fomento à carcinicultura (criação de camarões em viveiros); ampliação do serviço de assistência técnica, e fomento da pesca artesanal.

Deixe seu comentário

*
*
Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Falabarreiras. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Falabarreiras poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto. É possível digitar até 600 caracteres. Os comentários que estiverem escritos em letras maiúsculas e tiverem links serão rejeitados.