Algodão baiano avança no cumprimento dos critérios de sustentabilidade em 2019

O programa certificou ao longo da safra 2018/2019 uma área total de 247.840 mil hectares

Em 23/01 de 2020

Assessoria de Imprensa Abapa | Araticum Comunicação | Imagem destaque: Sustentabilidade do algodão da Bahia | Foto: Divulgação Abapa

Além de atingir a sua segunda maior safra da história, o algodão produzido na Bahia também avançou no cumprimento dos rígidos critérios de sustentabilidade mundiais. Foram certificadas como sustentável 77,7% da área plantada da fibra na Bahia pela entidade suíça Better Cotton Iniciative (BCI) que atua em conjunto com o programa Algodão Brasileiro Responsável (ABR), desenvolvido localmente pela Associação Baiana dos Produtores de Algodão (Abapa). O programa certificou ao longo da safra 2018/2019 uma área total de 247.840 mil hectares, garantindo um crescimento de 29,4% da área de algodão que vem cumprindo à risca a legislação ambiental e adotando critérios de sustentabilidade dentro e fora das propriedades. Desde quando foi iniciado o programa, em 2011, a área classificada como sustentável saiu de 21,1% para os atuais 77,7% no Oeste da Bahia.

Sustentabilidade das indústrias de algodão | Foto: Divulgação Apaba

Segundo o presidente da Abapa, Júlio Cézar Busato, estes resultados demonstram o quanto os cotonicultores baianos estão no mesmo patamar de excelência de outros grandes produtores como Austrália e Estados Unidos. “Além de investir tecnicamente nas melhores soluções de plantio, colheita, monitoramento de pragas e beneficiamento da fibra, os produtores baianos também investem em boas práticas sociais e ambientais e vem sendo reconhecidos internacionalmente pelo mercado com a chancela desta certificação”, afirma. Durante o trabalho de auditoria externa, são checados um total de 225 itens com parâmetros de sustentabilidade internacionais, ligado ao respeito dos trabalhadores no campo, a exemplo do cumprimento de normas de saúde e segurança; e da legislação trabalhista e de preservação de meio ambiente.

Foto: Divulgação Apaba

O programa ABR tem como alicerce o incremento progressivo das boas práticas sociais, ambientais e econômicas nas unidades produtivas de algodão na Bahia e em todo o Brasil, por meio das entidades ligadas à Associação Brasileira dos Produtores de Algodão (Abrapa). Segundo maior produtor de algodão do Brasil, na safra 2018/2019, foram colhidos 1,5 milhão de toneladas (caroço e pluma). Os agricultores iniciaram em dezembro o plantio da nova safra 2019/2020 que deverá se manter no mesmo patamar da última safra, com a uma área total prevista de 301.070 hectares. Cerca de 40% do algodão baiano é exportado para países asiáticos, como Indonésia, Bangladesh e Vietnã, e 60% é comercializado para as indústrias têxtis no Brasil. A Bahia contribui com a participação de 25% da safra nacional, sendo considerada a área agrícola com a maior produtividade de algodão não irrigado do mundo.

Vistoria técnica – certificação de fazendas de algodão no Oeste da Bahia | Foto: Divulgação Apaba

Deixe seu comentário

*
*
Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Falabarreiras. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Falabarreiras poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto. É possível digitar até 600 caracteres. Os comentários que estiverem escritos em letras maiúsculas e tiverem links serão rejeitados.