Agronegócio: Barreiras à frente da produção de soja

O município constitui uma das principais atrações da região oeste do estado da Bahia

Em 27/03 de 2020

Imagem destaque reprodução G1

Barreiras é reconhecida por ser o principal centro urbano, com grande potencial econômico e turístico, de toda a sua região. Contando com inúmeros projetos que incentivam a educação e o apoio médico, além da sua clara aposta no agronegócio, o município constitui uma das principais atrações da região oeste do estado da Bahia.

Imagem reprodução Pixabay.com

Por conta do forte investimento nos setores do comércio e da prestação de serviços, Barreiras ocupa uma posição favorável entre os maiores centros econômicos e populacionais do estado. Em constante expansão, o município revela-se bastante atrativo para novas indústrias e empresas, impulsionando o aumento de postos de trabalho, assim como o desenvolvimento do comércio local e estadual.

Contudo, não são somente as indústrias que possibilitam o crescimento dos vários municípios baianos. Também o agronegócio assume particular importância nesse sentido, visto que o setor apresenta resultados impressionantes e contribui ativamente para o desenvolvimento da economia brasileira.

O agronegócio como ponto de partida

Entre as várias atividades que o agronegócio engloba — desde a produção de algodão e a criação de animais para consumo até o cultivo de grãos como o café e o milho —, a soja é um dos principais focos de produção em todo o país, representando 37% do valor da produção nacional, segundo o último relatório PAM – Pesquisa Agrícola Municipal, divulgado em 2018 pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Na verdade, a soja é foco da produção agrícola do oeste baiano, ocupando mais de 65% da área total cultivada na região. Dados revelam que seus resultados contribuem para cerca de 5% da produção nacional e 58% da produção do Nordeste brasileiro. O município de Barreiras está entre os principais produtores deste grão, possibilitando que o estado da Bahia ocupe a sétima posição do ranking nacional relativo à Participação de Unidades da Federação.

Já entre os vários municípios baianos, Barreiras ocupou o terceiro lugar no ranking de municípios que mais geram valor através da sua produção agrícola, sendo que a cidade é responsável por produzir diversos bens. Entre eles, destacam-se o algodão herbáceo, com 112.111 toneladas; o feijão, com 15.600 toneladas; e a soja, com 772.788 toneladas, produzidas somente no ano de 2018 – com base em dados disponibilizados pelo IBGE.

Não restam dúvidas de que o agronegócio é um dos principais impulsionadores da economia brasileira, representando mais de 20% do PIB (Produto Interno Bruto) nacional. Segundo a economista Zeina Latif, o setor representa o “cartão de visitas” do país, uma vez que tem revelado maior estabilidade face aos demais.

Imagem reprodução Pixabay.com

A produção de soja e seu impacto econômico

A produção de grãos no Brasil constitui a principal fonte de renda do país, principalmente nas zonas rurais, mas não é somente para os pequenos produtores que a soja possui forte influência monetária. Levando em conta todo o país, o pequeno grão lidera o ranking de produtos mais exportados há mais de duas décadas, tendo ultrapassado seu principal concorrente, os Estados Unidos, com a venda de 101 milhões de toneladas para o exterior na safra de 2017/2018.

Além disso, com base no gráfico disponibilizado pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, conseguimos identificar que o complexo de soja representa 24,43% das exportações brasileiras, traduzindo-se em um dos principais produtos explorados pelo setor.

Também os últimos dados divulgados pela Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária) confirmam que o Brasil é o segundo maior produtor de soja do mundo. Apenas na safra de 2018/2019, a produção do grão – em todo o país – rendeu cerca de 114.843 milhões de toneladas, o que corresponde a uma área plantada de 35.822 milhões de hectares.

Segundo indicam as estimativas da Agroconsult, sua produção deverá atingir 124.3 milhões de toneladas na safra de 2019/2020 – um aumento de 4,6% face ao período anterior. Porém, precisamos clarificar que o agronegócio representa um conjunto de atividades agrícolas que sustentam a produção brasileira como um todo. Nesse sentido, é importante não esquecermos que outras culturas, como a do algodão, são igualmente importantes para o crescimento da economia do país.

A sustentabilidade do negócio

Em uma época em que as práticas de atividades sustentáveis predominam, o agronegócio é irrefutavelmente o setor que mais necessita se adaptar. No entanto, o ramo tem apresentado diversas transformações que visam cumprir com os critérios de sustentabilidade, como mostra uma de nossas matérias.

Destacam-se, por exemplo, os tópicos discutidos no Acordo de Paris, no qual o Brasil se comprometeu a reduzir a emissão de gases de efeito estufa, através da implementação de tecnologias de Agricultura de Baixa Emissão de Carbono. Segundo Tereza Cristina Côrrea da Costa Dias – ministra da Agricultura – o país constitui uma grande potência de produção de alimentos, mas também do meio ambiente. Tereza reforça, ainda, que o Brasil tem conseguido usar menos recursos para criação de gado e cultivo de alimentos.

Image reprodução Pixabay.com

Está claro que cabe a cada uma das indústrias em todo o mundo contribuir para a preservação do meio ambiente, não sendo este assunto exclusivo do agronegócio brasileiro. Nesse sentido, são vários os setores que apostam, cada vez mais, em soluções sustentáveis, como ilustra a Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig), cuja energia gerada é 99% proveniente de fontes renováveis, aproximadamente.

Entretanto, as ações sustentáveis praticadas por diferentes empresas e setores não para por aqui. Um exemplo é o da empresa Natura, que, além de ter uma produção baseada em ingredientes naturais, promove iniciativas de proteção da Floresta Amazônica com o objetivo de combater o desmatamento. Outra demonstração de comprometimento com o meio ambiente vem do site de cassino online Betway, que em seus escritórios, além de reciclar e fazer o uso de videoconferências a fim de reduzir a quantidade de viagens de negócios, encoraja os funcionários a irem trabalhar de bicicleta. Outra companhia que também vem praticando a sustentabilidade é a L’Oreal, uma das marcas de cosméticos mais reconhecidas do mundo. A empresa fez parte do ranking de marcas mais sustentáveis do mundo em 2019, segundo a Forbes. Sua posição é reflexo do trabalho que a companhia vem desenvolvendo com o programa Sharing Beauty With All, que visa inovar de forma sustentável e apoiar as comunidades menos favorecidas.

Desde as práticas de uma agricultura sustentável até a reciclagem efetuada dentro de nossas casas, todos nós podemos contribuir para a diminuição da pegada ecológica global. Nesse sentido, o Brasil e o estado da Bahia têm caminhado para alterar suas práticas agrícolas, mantendo o equilíbrio com seus níveis de produtividade. Pelos motivos pontuados, faz-se tão importante que municípios como Barreiras acompanhem seus produtores, guiando-os da melhor forma possível para que continuem produzindo e, simultaneamente, protegendo o meio ambiente.

Deixe seu comentário

*
*
Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Falabarreiras. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Falabarreiras poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto. É possível digitar até 600 caracteres. Os comentários que estiverem escritos em letras maiúsculas e tiverem links serão rejeitados.