Agricultores baianos fecham parceria para recuperar estrada em Luís Eduardo Magalhães, no Oeste da Bahia

O pleito foi levado ao prefeito Oziel Oliveira e a recuperação da estrada terá início a partir do dia 1° de outubro

Em 27/09 de 2019

Ascom Abapa | Araticum Comunicação

Os agricultores baianos, por meio da Associação Baiana dos Produtores de Algodão (Abapa), participaram na última sexta-feira (20) de uma reunião para fechar uma parceria para recuperação de 31 quilômetros da estrada da linha Timbaúba, no município de Luís Eduardo Magalhães, no Oeste da Bahia. Com a participação do presidente da Abapa, Júlio Cézar Busato, e do produtor membro da diretoria da entidade, Walter Horita, o pleito foi levado ao prefeito Oziel Oliveira, que se comprometeu com o apoio à recuperação da estrada que terá início a partir da próxima terça, 1° de outubro.

A obra consiste no levantamento do leito da estrada, tratamento de base sub-base e cascalhamento, deixando a estrada pronta para receber a pavimentação asfáltica no próximo ano. A intervenção na estrada da Linha Timbaúba vai contribuir para a circulação de pessoas, mercadorias e da própria safra. Esta estrada abrange uma área agrícola com cerca de 50 mil hectares produtivos, e beneficiará cerca de 300 famílias. A obra será executada pela Abapa, por meio do Programa Patrulha Mecanizada, que desde 2013, recuperou cerca de 1780 quilômetros de estradas localizadas em importantes áreas produtivas agrícolas do Oeste da Bahia.

A recomposição da estrada da Linha Timbaúba também conta com apoio da Associação de Agricultores e Irrigantes da Bahia (Aiba), Prodeagro, Prefeitura de Luís Eduardo Magalhães e Produtores da Linha Timbaúba. Também participaram da reunião o presidente da Associação Comunitária dos Produtores Rurais da Linha Timbaúba, Fernando Burin, o diretor-executivo da Abapa, Lidervan Morais, o coordenador do programa Patrulha Mecanizada, David Tavares, e o assessor de agronegócios da Aiba, Luiz Stahlke.

Deixe seu comentário

*
*
Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Falabarreiras. É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Falabarreiras poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto. É possível digitar até 600 caracteres. Os comentários que estiverem escritos em letras maiúsculas e tiverem links serão rejeitados.