21/fevereiro/2019- Atualizado em 21/02/2019 8:57:13

ACEB lança campanha “Educação que transforma: por uma Bahia melhor”

Carla Santana

Associação aderiu ao movimento pela elevação do IDEB na Bahia

“Professores qualificados e valorizados; gestores capacitados; infraestrutura escolar adequada; educação integral; níveis de ensino articulados e integrados aos entes federativos. Com esta lógica, é possível melhorar a educação na Bahia”. Com base nesta afirmação, a Associação Classista de Educação e Esporte da Bahia (ACEB) está lançando a campanha “Educação que transforma: por uma Bahia melhor”. O objetivo é colaborar para melhorar o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) no estado através de ações que tragam resultados efetivos.

Por ter sua origem na luta em defesa da educação, cultura e esporte como aliados da pedagogia, a ACEB decidiu aderir ao movimento que está acontecendo no estado com o intuito de mudar a educação na Bahia. A campanha vai começar com a entrega de uma Carta ao Governo Estadual e aos Governos Municipais através da União dos Municípios da Bahia (UPB) e Assembleia Legislativa, com conteúdo dos educadores, estudantes e gestores.

“O Governador reeleito disse, logo após sua posse, no início do ano, que a educação será prioridade da gestão. Essas palavras soaram bem aos ouvidos dos acebianos e acebianas, pois a área realmente precisa de uma atenção maior. Contudo, precisamos que ações eficazes sejam desenvolvidas para que as promessas sejam, de fato, cumpridas”, declararam os dirigentes da ACEB, Marinalva Nunes e Claudemir Nonato (conhecido como Pigue).

Outra ação da Associação no sentido de aprimorar a educação no Estado será a realização do Seminário “Educação que Transforma”, que terá como meta o compartilhamento de ferramentas e modelos de gestão da educação que estão dando certo. Voltado principalmente para Secretários de Educação e gestores da área que atuam em diversos estados do Nordeste, o evento será realizado em Salvador em data a ser confirmada. A ideia é reunir as melhores práticas em educação a fim de que cada participante possa levá-las para sua região.

“Algumas escolas da Bahia já apresentam um resultado satisfatório a partir de ações positivas isoladas, mas quando se considera a média de todos os colégios, os índices são negativos. Precisamos que as boas práticas de algumas de nossas escolas e dos colégios de outros estados sejam compartilhadas e implementadas em toda a rede estadual de ensino”, defenderam os dirigentes.

A fim de incentivar a formação continuada de professores, a ACEB executa, há 16 anos, um programa de formação continuada, com viés classista, através de cursos de qualificação em parceria com renomadas instituições de educação no estado.

Ações – Além da qualificação de professores, a ACEB acredita que outras importantes ações precisam ser realizadas para otimizar os índices da educação no Estado: reorganização da estrutura das escolas; capacitação de gestores; formação classista dos trabalhadores em educação; nomeação de um(a) coordenador(a) pedagógico(a) por turno em cada unidade; atuação de psicopedagogos(as) nas escolas e ampliação das unidades escolares com tempo integral e incremento dos Institutos Profissionais. “Além disso, entendemos que a cultura e o esporte são fabulosas ferramentas no sistema de ensino pela paixão, socialização e disciplina que imprimem”, destacou Pigue.

De acordo com o vice-presidente da ACEB, Marcelo Ramos, “as escolas precisam implementar e desenvolver mais projetos que fomentem a cidadania. É preciso estimular as artes (visuais, música, teatro, dança, etc) e fomentar o esporte, através de iniciação esportiva nas mais diversas modalidades, torneios e eventos esportivos que possam ir além das aulas de educação física”, frisou.

Segundo Marinalva Nunes e Claudemir Nonato, a valorização profissional do educador passa pela compreensão e consciência da nobreza da função por parte da sociedade. “Formação continuada, desenvolvimento da carreira e elevação do piso salarial são importantes no processo de transformação da educação no estado. Professores, coordenadores, gestores e demais trabalhadores em educação são os guardiões da transformação social”, resumiram os dirigentes da ACEB.

O conteúdo de cada comentário é de exclusiva responsabilidade do autor e mensagens ofensivas não serão postadas.

0 Comentários

Deixe o seu comentário!