05/novembro/2017- Atualizado em 05/11/2017 8:25:07

Projeto Escolas Culturais é implantando em Feira de Santana

O Colégio Modelo de Feira de Santana, no centro norte da Bahia, é a quinta unidade da rede estadual de ensino a receber o Projeto Escolas Culturais, que já foi implantado em Itabuna, Juazeiro, Gandu e Bom Jesus da Lapa. O lançamento foi realizado na tarde da quarta-feira (1º), com a presença do secretário da Educação do Estado, Walter Pinheiro, que foi recepcionado ao ritmo do carimbó. Durante a abertura, os estudantes também realizam apresentações de música, teatro, de artes patrimoniais e grafitagem.

O Núcleo Antônio Gasparini do Neojiba e o ativista cultural Asa Filho fizeram participações especiais. O lançamento do projeto ainda teve performances de estudantes de outras escolas da rede estadual, como os do Colégio Estadual Juiz Jorge Farias Goes, de Feira de Santana, que são envolvidos no Projeto Educação Patrimonial e Artística (EPA), e do grupo Black Dance, do Colégio Estadual Elisabeth Chaves Veloso, em Salvador.

Segundo Pinheiro, o Projeto Escolas Culturais promove o protagonismo estudantil e a requalificação da escola, abrindo as portas para a comunidade para se tornar um espaço voltado à produção e à valorização da cultural do Território de Identidade onde está inserida. “O projeto nasceu exatamente para tirar o muro que separa as escolas do território e o território das escolas. Com este projeto, estamos dando asas, trazendo a comunidade para a escola”, afirmou, destacando que o projeto é marcado por um forte viés pedagógico.

Incentivo à arte
A estudante Amanda Caroline Nascimento, 19 anos, 3° ano, dançou o carimbó no evento. Para a jovem, que deixa a unidade este ano, o projeto é mais uma iniciativa positiva. “Já temos vários projetos de arte e cultura aqui e, com a chegada do Projeto Escolas Culturais, nós só ganhamos”. O colega e parceiro dela na apresentação, Adryel Wesley Santos, 19, 8° ano, estava igualmente entusiasmado. “O projeto vem para abrir muitas portas para os estudantes e para a comunidade. É uma boa iniciativa e, com certeza, vai movimentar e dar ainda mais vida à nossa escola”, disse.

O diretor do Colégio Modelo, Edvan Nascimento, acredita que o projeto Escolas Culturais vai potencializar as criações estudantis. “Esse projeto tem muita relevância, principalmente para nossa unidade escolar, onde temos uma clientela bem diversificada; meninos e meninas com projetos maravilhosos de vida, de cultura, de arte e de expressão corporal. Esta iniciativa que o governo está ampliando na escola multiplica, cada vez mais, os diversos talentos que temos aqui”, comemora.

Requalificação
O projeto envolverá 85 unidades escolares, em 85 municípios, nos 27 Territórios de Identidade da Bahia, em parceria com as secretarias de Cultura (Secult), de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social (SJDHDS) e Casa Civil. Para a implantação do projeto, fomento das atividades artístico-culturais já existentes e das novas atividades, as escolas serão requalificadas para que sejam desenvolvidas atividades nas áreas de dança, música, audiovisual e literatura.

Com isto, auditórios e outros espaços dessas unidades escolares receberão equipamentos para projeção de audiovisual, com palco para apresentações artísticas e com internet banda larga para o desenvolvimento dos projetos, a exemplo de programas de rádio e estímulo ao empreendedorismo.

Fonte: Secom Bahia | Foto: Claudionor Junior/Secretaria da Educação

O conteúdo de cada comentário é de exclusiva responsabilidade do autor e mensagens ofensivas não serão postadas.

0 Comentários

Deixe o seu comentário!