08/março/2018- Atualizado em 08/03/2018 14:46:50

Procura pela vacina contra a febre amarela está baixa em Lauro de Freitas

Agência do Rádio Mais

Lauro de Freitas é um dos oito municípios da região metropolitana de Salvador que tem se mobilizado para vacinar a população contra a febre amarela. O objetivo é imunizar pelo menos 95% dos moradores da capital baiana e das cidades próximas, como Camaçari, Candeias, Itaparica, Mata de São João, São Francisco do Conde e Vera Cruz. A campanha segue até o dia nove de março e pretende vacinar mais de três milhões e meio de pessoas nessas localidades. No entanto, segundo o coordenador do Programa Municipal de Imunização da Bahia, Ramon Saavedra, Lauro de Freitas possui o menor índice de cobertura vacinal entre os oito municípios prioritários que participam da campanha. “No caso, a gente teve uma variação de cobertura vacinal, até o momento, variando de 50,6%, em Lauro de Freitas, até 98,6% em Candeias. Tivemos essa variação de um modo geral. Se a gente for contabilizar os oito municípios no total, a cobertura está ainda em 54,3, a média”, afirma Saavedra.

Segundo a gerente de Imunização da Secretaria de Saúde de Lauro de Freitas, Manuela Leal, a população toma a vacina principalmente quando se sente ameaçada. Para ela, isso é um dos fatores responsáveis pelo baixo índice de procura nos postos de vacinação. “Não sei se por Lauro de Freitas não ter caso humano. Então a população, ela não está ainda nesse medo. Quando tem a morte de um animal próximo do local, todo mundo corre para o posto. Antes mesmo de sair o resultado de que o animal foi morto. E corre para unidade de saúde para fazer a vacinação”, disse.

Segundo Manuela Leal, a população deve se prevenir e procurar as unidades de saúde mais próximas. “A vacinação é a nossa forma de prevenção. A população tem que ter essa conscientização de que com a vacina a gente está se prevenindo. Não adianta a gente ir buscar essa vacina quando algum caso já aconteceu na família. Se a gente tem disponível pelo governo, se a gente tem disponível no município essa vacina, é a forma melhor da gente estar se prevenindo contra a doença. Então que as pessoas busquem, façam essa prevenção”, alerta Manuela.

A técnica de enfermagem Ricélia de Oliveira, de 32 anos, é casada e mãe de um filho. Ela, que é moradora do Bairro Areia Branca, se vacinou contra a febre amarela após verificar no seu cartão de vacina que ainda não estava protegida. “Eu verifiquei que eu ainda não tinha tomado ainda a (vacina) da febre amarela. Aí fui e tomei. A maioria dos meus familiares já tinha ido, só faltava eu mesma. Aí eu fui também. No dia que eu fui, eu fui sozinha. Não fui com nenhum familiar, não”, disse Ricélia.

Baixa procura
No dia 24 de fevereiro, Lauro de Freitas realizou o Dia D de vacinação contra a febre amarela e imunizou mais de 13 mil pessoas. A data fez parte da campanha de vacinação, que acontece até nove de março. Segundo Manuela Leal, o resultado ficou um pouco abaixo do esperado. “No sábado (dia 24), nós vacinamos, em média, 13 mil pessoas. A expectativa da gente era de 10 a 15 mil pessoas vacinadas”, afirma Manuela.

As Unidades Móveis de Saúde foram as mais procuradas pelos moradores de Lauro de Freitas no Dia D de vacinação contra a febre amarela. A Escola Municipal Ana Lúcia Magalhães e as praças da Matriz e do Parque Ecológico, por exemplo, receberam diversas pessoas em busca da vacina. Para Manuela Leal, é preciso que a população entenda a necessidade de estar protegida e procure as unidades de saúde, sejam elas móveis ou não. “A população compareceu, mas assim, compareceu muito mais às unidades volantes, às unidades extras que nós colocamos, como supermercados. Na verdade, nós fomos atrás da população, onde a população mais estava, supermercados, praça pública, foi onde nós tivemos, vamos dizer, uma taxa melhor de vacinação”, disse.

O município segue a recomendação da Secretaria Municipal de Saúde, que desenvolve estratégias para vacinar pessoas que ainda não se protegeram contra a febre amarela. O coordenador de imunização da Secretaria de Saúde da Bahia, Ramon Saavedra, reforça que somente tomando a vacina, os moradores de Lauro de Freitas estarão imunizados. “A gente aproveita a oportunidade para que a população se dirija para as unidades de saúde. Estamos vendo outras estratégias de vacinação, para além de vacinar nos postos, ou seja, vacinar casa a casa, disponibilizar postos volantes em supermercados, shoppings centers. Porque o objetivo é buscar não vacinados. O indivíduo que já tem uma dose da febre amarela tomada não precisa mais buscar a vacina. A gente tem que buscar não vacinados, porque o objetivo é atingir a meta de vacinar 95% da população nessa região”, afirma Saavedra.

Mosquitos contaminados
Além do baixo índice de vacinação, outro fator está preocupando as autoridades em Lauro de Freitas. A população está matando macacos por acreditar que isso ajuda no combate à febre amarela. A gerente de Imunização da Secretaria de Saúde de Lauro de Freitas, Manuela Leal, alerta que isso não diminui a circulação do vírus da doença na região.

“Não adianta, como a gente está vendo. Aqui mesmo já aconteceu casos de estar matando os animais por conta disso. Isso aí não adianta. E a forma que a gente tem de se prevenir, de tomar cuidado, é se vacinando. Eles são um alerta para a gente. Eles estão ali, são os primeiros a sofrerem para poder nos alertar de que existe a presença daquele vírus. Então, se eles estão ali, estão colaborando com a gente. E, com a pessoa vacinada, tudo fica completo”, afirma Manuela.

Além de não transmitir febre amarela, os macacos são os principais indicadores de que o vírus da doença está presente no local. A doença é transmitida para humanos apenas por mosquitos contaminados. O consultor científico do Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos da Fiocruz, Reinaldo de Menezes, explica que os macacos são tão vítimas quanto o ser humano. “É o mosquito que transmite a doença. Se tirarmos os macacos, os mosquitos irão atrás de outra fonte de sangue, que vamos ser nós. Então vai ser pior”, afirma.

Todas as Unidades de Saúde de Lauro de Freitas oferecem a vacina contra a febre amarela para a população. Entre os locais de vacinação estão as unidades de Vila Nova Portão e Irmã Dulce. Se você ainda não se vacinou, não deixe para depois. As unidades de saúde funcionam das oito da manhã às quatro da tarde. Vale lembrar que é preciso levar documento oficial com foto e o cartão de vacina para receber a dose contra a febre amarela. Procure a unidade de saúde mais próxima e se previna. Será a sua melhor proteção.

O conteúdo de cada comentário é de exclusiva responsabilidade do autor e mensagens ofensivas não serão postadas.

0 Comentários

Deixe o seu comentário!