05/Maio/2018- Atualizado em 05/05/2018 17:25:23

Dora Bahiana apresenta show “A Bahia de Ouro e Pedra de Alcyvando Luz” na FLIB 2018

Indicada ao Prêmio Caymmi 2017 na categoria melhor show, a cantora Dora Bahiana se apresenta no fechamento da Festa Literária de Barreiras 2018. Sábado, dia 19 de maio, será marcado pelo show “A Bahia de Ouro de Pedra de Alcyvando Luz”, e as crianças, os jovens, adultos e idosos terão a oportunidade de conhecer um pouco mais da obra do cantor, compositor, maestro e multi-instrumentista barreirense.

Dora Bahiana irá interpretar canções de Alcyvando Luz, que fizeram sucesso nas vozes de outros artistas, como: João Gilberto, Caetano Veloso, Cesária Évora, além de apresentar algumas das músicas inéditas do compositor e maestro com parcerias de Vinícius de Morais, Carlos Drummond de Andrade, Carlos Coqueijo e Capinan.

“Nego Véio da Bahia, o nosso barreirense Alcyvando, além de um exímio compositor, muito importante para a música baiana, foi também o meu padrinho musical. Será um grande prazer me apresentar no palco da FLIB em Barreiras, mostrando esse lindo projeto”, afirmou a cantora.

A diretora de cultura, Emília Moreno faz referência a expansão cultural e literária da FLIB, além de valorizar totalmente os escritores regionais.

“Estamos construindo essa edição com muito carinho, e principalmente participação de todas as instituições de ensino, escolas públicas e particulares, e escritores. O tema Oeste na Rota das Letras já demonstra nossa preocupação com a valorização das pratas da casa, além de relembrar na voz de Dora Bahiana nosso grande artista Alcyvando Luz, que orgulha Barreiras, uma homenagem apropriada, uma vez que neste aniversário trabalhamos o tema – Somos todos filhos desta terra”, disse Emília.

O projeto do show de Dora é realizado pela produtora Sangue no Olho Projetos, conta com direção artística de Ruy Manthur, direção musical de Son Melo e direção geral e produção executiva de Taís Fraga.

Alcyvando Luz: um barreirense brilhante
Alcyvando Liguori da Luz foi um compositor, multi-instrumentista, cantor, maestro, arranjador e regente. Ele nasceu em Barreiras no dia 30 de setembro de 1937, e aos 5 anos, acompanhado por uma orquestra de 80 músicos, estreou pela primeira vez ao público com o solo Aquarela do Brasil (Ary Barroso).

Compositor de uma das maiores pérolas interpretadas por João Gilberto: “É preciso perdoar”, com Carlos Coqueijo, Alcyvandro faleceu em 98, mas ainda é considerado um dos mais originais violonistas da Bahia. Conhecido pelos íntimos como Coré-Coré, Alcyvando era também engenheiro de som da UFBA.

Fonte: Dircom Barreiras

O conteúdo de cada comentário é de exclusiva responsabilidade do autor e mensagens ofensivas não serão postadas.

0 Comentários

Deixe o seu comentário!